21:53 19 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Zona desmilitarizada que divide a Coreia do Sul e Coreia do Norte

    Desertor norte-coreano ferido está se recuperando com música pop e filmes de Hollywood

    © REUTERS / Ministério da Defesa da Coreia do Sul/Yonhap
    Ásia e Oceania
    URL curta
    881

    O soldado norte-coreano que desertou e cruzou a fronteira com a Coreia do Sul em 13 de novembro, recuperou a consciência e seus ferimentos já não ameaçam sua vida.

    Anteriormente, foi informado que um militar havia se ferido na área de segurança conjunta — Zona Desmilitarizada entre as duas Coreias. O soldado norte-coreano foi atingido por balas de militares de seu país enquanto cruzava a fronteira com a Coreia do Sul.  Posteriormente, foi levado para um hospital sul-coreano para receber cuidados médicos.

    Segundo dados da agência Yonhap, o jovem de 24 anos recebe tratamento no hospital universitário na cidade de Suwon, no sul de Seul, mas poderá ser transferido da unidade de tratamento intensivo já no fim da semana.

    Durante uma cirurgia do aparelho digestivo, dezenas de parasitas de 27 centímetros de comprimento foram extraídas do militar norte-coreano.

    De acordo com o cirurgião, Lee Cook-jong, o soldado mostra sinais de depressão e estresse pós-traumático. Não obstante, o especialista indicou que há um melhoramento significativo, acrescentando que o jovem "recuperou suficientemente para falar sobre música pop e filmes".

    Lee comunicou que para melhorar a saúde emocional, o paciente ouviu músicas de grupos sul-coreanos e viu séries de televisão estrangeira.

    "Ele gosta da série 'CSI: Investigação Criminal' e do cinema estadunidense", comunicou.

    Até o momento, os médicos evitaram perguntar-lhe sobre seu país de origem. Entretanto, ele contou que entrou no Exército do seu país como motorista e a razão que o fez desertar e arriscar sua vida, foram os comentários positivos sobre a Coreia do Sul.

    Além disso, o paciente ainda não tem permissão para se comunicar com a mídia.

    Mais:

    Estupros e ausência de menstruação: verdade da vida das mulheres no exército norte-coreano
    Pare com 'violência sexual': Indonésia continua praticando 'provas de virgindade'
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik