03:37 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de míssil balístico da Coreia do Norte

    Japão: testes nucleares e de mísseis da Coreia do Norte são absolutamente inaceitáveis

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    514
    Nos siga no

    Os lançamentos de mísseis e os testes nucleares de Pyongyang são absolutamente inaceitáveis e representam uma ameaça global, afirmou o ministro das Relações Exteriores do Japão, Taro Kono.

    De acordo com o ministro japonês, a ameaça proveniente da Coreia do Norte alcançou um "nível sem precedentes".

    "Enquanto a Coreia do Norte está persistentemente seguindo seus planos de desenvolvimento de programas nuclear e de mísseis, a comunidade internacional precisa se unir e exigir de Pyongyang, com toda a firmeza, ações concretas para resolver estes problemas urgentes em prol de desnuclearização da península coreana", declarou o ministro.

    Ao mesmo tempo, o ministro Taro Kono declarou que o papel de Moscou é crucial para encontrar uma solução para a crise que atingiu a península coreana.

    O ministro sublinhou que por esta razão o "Japão necessita, em interação com a Rússia e com toda a comunidade internacional, de aumentar ao máximo a pressão sobre a Coreia do Norte, usando os mais diversos meios, e obrigá-la a mudar sua política".

    Taro Kono acrescentou que, nessa conexão, a "cooperação estreita entre o Japão e a Rússia é insubstituível".

    Mais:

    'Dragão asiático' interfere na briga entre EUA e Coreia do Norte
    Kim Jong-un e sua saúde estão influenciando a pausa nos testes da Coreia do Norte?
    EUA recolocam a Coreia do Norte em lista de apoiadores do terrorismo mundial
    Fim do silêncio: Coreia do Norte lançará míssil até o fim do ano, diz agência sul-coreana
    China e Coreia do Norte estreitam as relações, apesar das pressões dos EUA
    Tags:
    crise coreana, solução política, ameaça, testes de mísseis, testes nucleares, Ministério das Relações Exteriores do Japão, Taro Kono, Moscou, Rússia, Coreia do Norte, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar