21:27 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Cambodian Prime Minister Hun Sen, center, leans over a garment worker

    Herança do Khmer Vermelho? Premiê do Camboja silencia mídia e manda prender opositores

    © AP Photo/ Heng Sinith
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3 0 0

    O primeiro ministro forte do Camboja encarcerou oponentes políticos, fechou meios de comunicação independentes e agora declarou que Phnom Penh não precisa de Washington. Movimentos acontecem com aproximação das eleições gerais de 2018 no país do sudeste asiático.

    O primeiro-ministro Hun Sen, cada vez mais próximo de se tornar um ditador, declarou à imprensa que "acolhe e incentiva os EUA a cortar todos os auxílios" ao Camboja, de acordo com o portal Abc.net.au.

    A Casa Branca já tinha anunciado sua intenção de cortar a ajuda monetária de US$1,8 milhão em apoio às próximas eleições gerais de 2018, uma resposta ao governo déspota de Sen, que exigiu à Suprema Corte do país declarar ilegal o principal grupo de oposição, Partido do Resgate Nacional do Camboja (CNRP). Em 2014, o Departamento de Estado dos EUA enviou cerca de US $ 77,6 milhões para investimentos em projetos educacionais, serviços governamentais, redes de saúde, crescimento econômico e desarmamento de bombas deixadas pelos americanos pós-guerra.

    Contudo, a avalanche de dinheiro chinês no país deu sobrevida ao governo de Hun, protagonista da cena política local desde 1985.

    "Este é o fim da democracia no Camboja", disse o porta-voz do CNRP, Yim Sovann, citado pelo National Post, depois que seus líderes foram presos e acusados ​​pelo governo de traição.

    O Camboja já sofreu com uma sangrenta ditadura anteriormente. Entre os anos de 1975 a 1979, o país foi dominado pelo Khmer Vermelho. O período ficou marcado pela morte de quase 2 milhões de pessoas em execuções políticas, trabalhos forçados e em decorrência da fome que assolou o país. As ações do Khmer Vermelho são costumeiramente qualificadas como genocídio e foram objeto do filme First They Killed My Father (Primeiro eles mataram meu pai), dirigido por Angelina Jolie e representante do Camboja no Oscar de 2018.

    Tags:
    First They Killed My Father, Khmer Vermelho, Abc.net.au, Suprema Corte do Camboja, Partido do Resgate Nacional do Camboja (CNRP), National Post, Departamento de Estado dos EUA, Casa Branca, Yim Sovann, Hun Sen, Estados Unidos, Camboja, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik