20:53 23 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    736
    Nos siga no

    Revelou-se que o sistema operacional do smartphone norte-coreano Jindallae 3 é quase idêntico ao instalado pela empresa Apple em seus dispositivos.

    A conhecida paixão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, pelos produtos tecnológicos da empresa Apple parece dar seus frutos: neste ano, no mercado do seu país foram lançados o smartphone Jindallae 3 e o tablet Ryonghung, versões locais do iPhone e iPad, respectivamente.

    Ambos os dispositivos, "criados" pela Corporação de Tecnologia e Informações Mangyongdae, são muito semelhantes aos produtos do gigante estadunidense.

    Os especialistas norte-coreanos não só fizeram questão de que seu celular copiasse o aspecto visual do iPhone, mas instalaram um "software" semelhante ao usado pela Apple para bloquear o download de aplicativos não autorizados da App Store.

    No entanto, os engenheiros norte-coreanos usam essa ferramenta para controlar o acesso à informação das pessoas, assegura a agência AP.

    Graças a este programa "clone", os usuários não podem desativar as funções de segurança do sistema operacional norte-coreano Red Star, atualizado em 2014 para cancelar o download de aplicativos ou acesso a sites não autorizados pelas autoridades norte-coreanas.

    Por exemplo, relata-se que esse sistema operacional estará capturando as telas dos usuários de forma contínua e as enviando para funcionários do Estado que analisam as atividades realizadas pela população.

    Tanto a intranet de Kwangmyong ("brilhante", em norte-coreano) — que tem cerca de 170 sites — como os dispositivos norte-coreanos não podem acessar o mundo exterior.

    Na verdade, as chamadas (e envios de mensagens de texto) só podem ser realizadas entre usuários dentro do país, enquanto os jogos e outros serviços on-line são limitados a essa única rede oficial.

    Além disso, os norte-coreanos estão proibidos de usar qualquer Wi-Fi, e esse sinal é estritamente restringido e controlado para bloquear quaisquer conexões externas.

    Há uma década, apenas um pequeno grupo de altos funcionários e militares tinha acesso a esses dispositivos, mas estima-se que hoje haja entre 2,5 e 3 milhões de celulares na Coreia do Norte, cuja população é de cerca de 25 milhões de pessoas.

    Mais:

    Como Kim Jong-un aspira a se perpetuar no poder por mais de 50 anos?
    'Kim Jong-un' passeia pelas ruas de Nova York à procura de Trump (VÍDEO)
    Norte-coreanos são presos na China por plano para matar 'sucessor' de Kim Jong-un
    Tags:
    tablets, celular, Apple, Kim Jong-un, EUA, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar