23:39 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Nesta foto sem data que foi divulgada pela Agência Central de Notícias da Coreia do Norte em Pyongyang no dia 7 de Março de 2017, o líder da Coreia do Norte Kim Jong-un supervisou o lançamento de mísseis balísticos das unidades da artilharia de Hwasong das Forças Estratégicas do Exercito Popular da Coreia

    Embaixador sul-coreano: Rússia pode estar por trás da pausa nos testes da Coreia do Norte

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    11201
    Nos siga no

    O novo embaixador da Coreia do Sul na Rússia, Woo Yoon-keun, afirmou nesta quarta-feira que quer maior participação do Kremlin na busca por uma solução para a crise na Península da Coreia, e sugeriu que os russos podem explicar a pausa nos testes norte-coreanos.

    "Não tenho informações detalhadas, mas acredita-se que Moscou está desempenhando um papel na matéria", afirmou Woo a jornalistas em Seul, de acordo com informações do jornal local Korea Times.

    Desde o sexto teste nuclear de sua história, realizado em 3 de setembro, a Coreia do Norte não realizou nenhuma nova prova, seja balística ou atômica. Esperava-se que Pyongyang mantivesse a tradição com testes em outubro, o que acabou não acontecendo.

    Embora seja conhecido que o principal local de testes nucleares norte-coreanos sofreu danos na última prova nuclear do país, o chanceler sul-coreano comentou que os esforços da Rússia, para onde ele segue na próxima semana, não podem ser minimizados.

    "É difícil explicar em detalhes, mas acho que a Rússia pode desempenhar um papel crucial na crise nuclear da Coreia do Norte", explicou Woo.

    Além de tratar da crise com Pyongyang, o chanceler tentará melhorar ainda mais a cooperação econômica entre Seul e Moscou, com eventual participação de Pyongyang – uma promessa de campanha do presidente Moon Jae-in.

    Ao lado da China, a Rússia apresentou uma proposta para a diminuição das tensões na península, com a suspensão imediata não só dos testes balísticos e nucleares da Coreia do Norte, mas também dos exercícios bilaterais entre EUA e Coreia do Sul. Washington descartou a ideia.

    Mais:

    Clube das potências nucleares não deve aceitar Coreia do Norte, diz embaixador russo
    Coreia do Norte 'revela ao mundo' a 'verdadeira natureza' de Donald Trump
    Coreia do Sul diz 'não' às armas nucleares
    Tags:
    diplomacia, guerra, mísseis balísticos intercontinentais, testes nucleares, provocação, Kremlin, Moon Jae-in, Woo Yoon-keun, Estados Unidos, Seul, Moscou, Rússia, Coreia do Sul, Pyongyang, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar