06:13 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    O cartaz A resposta da Coreia

    Só um ataque da Coreia do Norte aniquilaria 90% da população dos EUA

    © REUTERS/ KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    784844

    As tensões entre Washington e Pyongyang se intensificaram significativamente nos últimos meses, tornando-se cada vez mais ferozes, existindo até possibilidade de início de conflito armado ou, no pior dos casos, guerra nuclear.

    A Coreia do Norte é capaz de cortar indefinidamente a rede elétrica dos EUA e acabar com a vida de 90% da população estadunidense, se realizar ataque de pulso eletromagnético de grande altitude (detonação de uma bomba nuclear em grande altitude), anunciou a Comissão de Defesa do Congresso norte-americano.

    Os especialistas avisam que Pyongyang pode "executar facilmente o cenário de juízo final para reduzir parte do território estadunidense a cinzas", informa a revista Washington Examiner.

    Apelando ao Pentágono e à Casa Branca para que medidas de proteção da infraestrutura vital do país sejam tomadas, os especialistas indicaram que a explosão de uma bomba nuclear em grande altitude, enviada através de míssil balístico intercontinental, seria capaz de interromper fornecimento de eletricidade por um período indefinido de tempo e também aniquilaria a vida da maior parte dos habitantes dos Estados Unidos durante um ano após explosão.

    Ao mesmo tempo, a Comissão sublinhou que a ameaça norte-coreana "nunca foi tão alta como agora", devido aos avanços significativos alcançados por Pyongyang na área de desenvolvimento dos seus programas nuclear e de mísseis.

    A situação na península da Coreia vem se agravando nos últimos meses por causa de lançamentos de mísseis e testes nucleares por parte da Coreia do Norte, os quais violam as resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

    As sanções, aprovadas por unanimidade pelo Conselho de Segurança da ONU em 11 de setembro em resposta ao teste nuclear da Coreia do Norte, proíbem o país de exportar produtos têxteis e limitam a quantidade de petróleo bruto e produtos petrolíferos refinados que podem ser importados.

    No entanto, as autoridades da Coreia do Norte indicaram que, apesar das sanções introduzidas pelos EUA e seus aliados, o país continuará desenvolvendo seu programa nuclear.

    Mais:

    China: sistemas THAAD na Coreia do Sul prejudicam interesses de segurança da Rússia
    Coreia do Norte reconhece Crimeia como parte da Rússia
    Eis o caso em que EUA poderiam atacar primeiro Coreia do Norte
    Sob o radar: forças especiais da Coreia do Norte dominam ataques em parapente
    Rússia: EUA dão passo errado em 'jogo muito perigoso' ao se aproximar da Coreia do Norte
    Coreia do Norte está pronta a testar novo míssil intercontinental a qualquer momento
    Tags:
    mísseis balísticos intercontinentais, rede, explosão nuclear, população, eletricidade, bomba, ataque hacker, ameaça, Casa Branca, Pentágono, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik