20:25 23 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Bandeira da Coreia do Norte na zona desmilitarizada

    Guardian: Trump pode enfrentar soldados norte-coreanos na fronteira mais protegida

    © AFP 2017/ SAUL LOEB
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6256243

    O presidente dos EUA poderá vir a visitar a zona desmilitarizada na fronteira entre as duas Coreias, escreve o The Guardian.

    De acordo com a edição, é muito provável que a visita do presidente norte-americano seja classificada como uma provocação por Pyongyang, apesar de muitos turistas visitarem a área, informa o RT.

    O presidente norte-americano pode enfrentar os soldados norte-coreanos na zona mais bem protegida do mundo, escreve o The Guardian

    De acordo com a mídia sul-coreana, Donald Trump pode visitar a zona desmilitarizada (que separa as duas Coreias desde o fim da guerra de Coreia de 1950-1953) durante seu périplo pela Ásia, durante a qual ele também deverá visitar o Japão, a China, o Vietnã e as Filipinas. 

    A informação surgiu em meio da demonstração pelos EUA da sua capacidade aérea militar na região. Na quarta, dois bombardeiros supersônicos B-1B sobrevoaram a península da Coreia, acompanhados por caças japoneses e sul-coreanos. Os bombardeiros realizaram manobras a leste da Coreia do Sul e depois repetiram as manobras por cima das águas que separam a Coreia do Sul da China. 

    Espera-se que, durante a sua visita, Donald Trump envie um sinal verbal ou "cinético" à Coreia do Norte. "É provável que ele faça qualquer coisa desse gênero e que os seus assessores estejam ocupados com os respectivos preparativos", acrescentou uma fonte no Ministério da Defesa da Coreia do Sul.

    Caso a visita seja efetuada, Trump poderá visitar a aldeia de Panmunjeom que se encontra na fronteira com a Coreia do Norte, onde foi atingido o acordo de armistício e onde fica o posto de observação. Assim, o presidente norte-americano pode repetir a rota de Barack Obama que conseguiu observar a Coreia do Norte através de binóculos em 2012 e Bill Clinton que, em 1993, classificou a zona desmilitarizada como "o lugar mais terrível da Terra". 

    Em abril o vice-presidente dos EUA Mike Pence visitou não oficialmente a zona desmilitarizada, após que declarou que "a época da tolerância estratégica para a Coreia do Norte chegou ao fim". 

    Desde a divisão da península de Coreia em duas partes há 60 anos, na área fronteiriça surgem periodicamente conflitos entre os dois países. Esta área é minada, a fronteira é guardada por soldados bem equipados. Mas devido à atividade humana mínima, a zona se tornou uma espécie de parque natural.  

    É possível que durante a sua visita o líder norte-americano visite as casas azuis, que ficam na linha de demarcação, onde os representantes de Pyongyang e das tropas da ONU realizaram as negociações.

    Mais:

    Trump: governos anteriores dos EUA fizeram 'papel de tonto' com Coreia do Norte
    Trump: 'Somente uma coisa vai funcionar' com a Coreia do Norte
    Tags:
    defesa, tropas, fronteira, política, provocação, tensões, zona desmilitarizada, visita, Donald Trump, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik