02:12 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Interceptor de mísseis lançado do cruzador USS Lake Erie da Marinha dos EUA perto do Havaí

    Eis o caso em que EUA poderiam atacar primeiro Coreia do Norte

    © AFP 2017/ US NAVY
    Ásia e Oceania
    URL curta
    198139133

    Confira sob quais circunstâncias os EUA lançam um ataque preventivo contra a Coreia do Norte.

    Os Estados Unidos podem vir a realizar ataque preventivo contra o país asiático caso recebam informação fiável de que Pyongyang estaria planejando lançar míssil balístico com ogiva nuclear para explodi-lo na atmosfera sobre o oceano Pacífico, informa o jornal japonês Yomiuri, citando fontes da administração norte-americana e do Pentágono.

    "As Forças Armadas dos Estados Unidos se preparam para usar seu poder esmagador em caso de a Coreia do Norte mostrar sinais reais de lançamento iminente de um míssil com ogiva nuclear", o Yomiuri cita um alto representante do Departamento de Defesa dos EUA, que preferiu manter anonimato.

    Além disso, a fonte também comentou que uma explosão nuclear sobre o Pacífico seria "ação suicida" para o líder norte-coreano, Kim Jong-un, que "está atuando muito cautelosamente agora, tentando avançar ao longo da fronteira, porque qualquer passo poderá ser seguido com ataque dos EUA".

    "Coreia pode fazê-lo"

    Segundo comenta em entrevista ao Yomiuri o professor da Universidade de Tóquio e especialista em assuntos nucleares, Tetsuo Sawada, a Coreia do Norte já possui capacidade técnica suficiente para efetuar um teste de bomba de hidrogênio sobre o oceano Pacífico.

    "Suas tecnologias não são perfeitas, mas [os norte-coreanos] podem fazer detonar ogiva nuclear em altitude predeterminada", declarou.

    "Se explodirem uma ogiva de hidrogênio com capacidade de 1.000 quilotons a 10 km sobre o oceano Pacífico, destruirão aviões e afundarão navios a um raio de 10 km [devido à explosão]", avisou o professor japonês.

    Mais anteriormente, no âmbito da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que teve lugar em setembro deste ano, o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, sugeriu que a Coreia do Norte poderia vir a realizar "a mais poderosa detonação de uma bomba de hidrogênio no Pacífico", em resposta à política de hostilidade e ameaças de Washington.

    Mais:

    Sob o radar: forças especiais da Coreia do Norte dominam ataques em parapente
    Rússia: EUA dão passo errado em 'jogo muito perigoso' ao se aproximar da Coreia do Norte
    Coreia do Norte está pronta a testar novo míssil intercontinental a qualquer momento
    Opinião: Coreia do Norte pode possuir arma que os EUA não conseguirão conter
    Resposta forte: Pyongyang ameaça Washington com 'chuva de fogo'
    Tags:
    ameaça nuclear, ataque preventivo, bomba de hidrogênio, teste nuclear, míssil balístico intercontinental, administração, Pentágono, Kim Jong-un, Ri Yong-ho, Guam, oceano Pacífico, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik