22:35 17 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Retrato de Kim Jong-nam na revista chinesa, 27 de fevereiro de 2017

    Julgamento de suspeitas de assassinato de irmão de Kim Jong-un prester a começar

    © REUTERS / THOMAS PETER
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2730

    O julgamento das duas mulheres acusadas de assassinar Kim Jong-nam, meio irmão do ditador norte-coreano Kim Jong-un, em um aeroporto na Malásia terá início na segunda-feira (2).

    Siti Aisyah, da Indonésia, e Thi Huong, do Vietnã, são acusadas de jogar no rosto de Kim Jong-nam o agente nervoso XV, causando sua morte em cerca de 20 minutos. Os advogados das rés, segundo a agência de notícias Associated Press, afirmaram que suas clientes irão se declarar inocentes.

    Elas afirmam que acreditavam estar participando de um reality show e que receberam cerca de US$ 100 a US$ 200 por pegadinhas similares em outras ocasiões — só que com ingredientes diferentes, como pimenta. 

    A agência de espionagem da Coreia do Sul afirma que o assassinato do meio irmão de Kim Jong-un — que teoricamente não conhece a vítima do ataque — foi planejado por cinco anos. A polícia diz que vários norte-coreanos suspeitos de envolvimento deixaram o país no dia do ataque.

    Kim Jong-nam, que tinha 45 ou 46 anos, era o filho mais velho da família que governa a Coreia do Norte desde a sua fundação, mas caiu em desgraça em 2001 ao tentar entrar no Japão com um passaporte. Ele disse que queria visitar a Disneyland de Tóquio. À época de seu assassinato, Kim já vivia no exterior há anos e usava um passaporte diplomático norte-coreano sob o nome de "Kim Chol".

    Mais:

    Filho de Kim Jong-nam quebra silêncio e faz apelo em VÍDEO
    Malásia 'condena fortemente' uso de arma química no assassinato de Kim Jong-nam
    Intoxicação de Kim Jong-nam não significa que Coreia do Norte possua arma química
    'Kim Jong-nam foi morto com arma química', diz polícia
    Tags:
    Kim Jong-nam
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik