04:59 18 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Líder da Coreia do Norte Kim Jong-un

    Hackers norte-coreanos roubam tecnologia de lançamento de mísseis a partir de submarinos

    © REUTERS/ KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    30314

    Os hackers norte-coreanos roubaram tecnologias sul-coreanas de lançamento de mísseis balísticos a partir de submarinos, isso pode ser a razão para o recente avanço tecnológico de Pyongyang, expressa o jornal Kyunghyang Shinmun.

    "Hackers ligados ao Serviço de Inteligência das Forças Armadas da Coreia do Norte conseguiram penetrar e arrombar o sistema informático de uma das nossas empresas que opera no domínio da defesa. No resultado da investigação realizada, foi revelado que os hackers roubaram documentação com a tecnologia de lançamento a frio de mísseis balísticos a partir de submarinos", declarou a fonte K no Ministério de Defesa sul-coreano, citado pelo Kyunghyang Shinmun.

    A fonte acrescentou que este arrombamento pode ser a razão para a ruptura inesperada demonstrada pela Coreia do Norte no domínio da instalação e lançamento de mísseis balísticos a partir de submarinos.

    A tecnologia de lançamento a frio é utilizada durante os lançamentos de mísseis avançados. Primeiro o míssil é lançado com ar comprimido, depois de atingir uma altitude determinada, o míssil começa utilizando seus próprios motores principais.

    Esta tecnologia permite lançar os mísseis quando os submarinos ainda estão debaixo de água.

    Segundo o Kyunghyang Shinmun, citado pelo Rossiyskaya Gazeta, os representantes oficiais do Ministério da Defesa e da Procuradoria se recusaram a comentar a informação sobre fuga de tecnologias, mas ainda não a negaram.

    Mais:

    Risco para o mundo? China e Coreia do Norte vivem 'crise na relação', diz agência
    Chanceler russo diz por que EUA não atacarão Coreia do Norte
    Tags:
    míssil, submarino, teste, lançamento, tecnologias, roubo, investigação, defesa, Kim Jong-un, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik