02:07 20 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Dois sistemas de THAAD são lançados durante um teste de interceptação bem sucedido.

    Sinal para Pyongyang: Coreia do Sul volta a descartar busca por armas nucleares

    © flickr.com/ Agência de Defesa contra Mísseis (ADM) dos EUA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8228581

    A ministra de Relações Exteriores da Coreia do Sul, Kang Kyung-wha, voltou a negar nesta segunda-feira que o país tenha interesse em reiniciar a sua busca por armas nucleares, retiradas em 1991 como parte de um acordo conjunto com os Estados Unidos.

    "Atualmente não estamos revisando isso no nível do governo nem estamos negociando com os Estados Unidos", afirmou Kang, em declarações reproduzidas pela agência sul-coreana Yonhap. Segundo ela, o foco de Seul segue sendo a desnuclearização da península por meio da diplomacia.

    A retomada do desenvolvimento e aparelhamento das Forças Armadas sul-coreanas com armas nucleares vem sendo alvo de pressões dentro do país asiático. Se antes a oposição era a voz mais ressonante quanto a isso, agora até mesmo partidários governistas pedem uma revisão das políticas do governo de Moon Jae-in para o setor.

    "50 milhões de pessoas na Coreia do Sul foram tomadas como reféns pelas armas nucleares do Norte. Devemos considerar todas as opções, incluindo a readoção de armas nucleares táticas dos EUA", opinou o parlamentar oposicionista Kim Joong-ro, do Partido do Povo.

    Os recentes testes balísticos conduzidos por Pyongyang, somados ao sexto teste nuclear conduzido pelos norte-coreanos há alguns dias, apenas aumentaram o temor de que um conflito armado esteja prestes a eclodir na península. Contudo, o governo sul-coreano mantém a sua estratégia.

    "Nossa posição para a desnuclearização da península não mudou. Se adotarmos as armas nucleares, perderemos o nosso fundamento moral para a desnuclearização da Coreia do Norte, e é possível que todos os países do Nordeste Asiático entrem em uma corrida armamentista nuclear", disse um funcionário do governo ao jornal Korea Herald.

    Nos Estados Unidos, setores da Casa Branca e do Congresso já demonstraram apoio a uma reintrodução de armas nucleares em favor da Coreia do Sul. "Deveria ser seriamente considerado", afirmou o senador republicano John McCain, em entrevista concedida no sábado à rede norte-americana CNN.

    Para a ministra Kang Kyung-wha, as questões nucleares norte-coreanas se mantêm como "os maiores desafios em nossa frente de segurança e assuntos externos", e que isso "provavelmente continuará sendo assim por muitos anos", sem uma solução fácil adiante.

    Mais:

    Conselho de Segurança no auge da pressão por votação das sanções contra a Coreia do Norte
    Expandindo Horizontes: Coreia do Sul vai aumentar a cooperação com a Rússia
    Coreia do Norte ameaça levar 'dor, sofrimento e extinção' aos EUA após novas sanções
    Tags:
    segurança, defesa, thaad, arsenal nuclear, armas nucleares, John McCain, Kim Joong-ro, Moon Jae-in, Kang Kyung-wha, Península da Coreia, Pyongyang, Coreia do Norte, Seul, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik