05:34 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Teste de míssil norte-coreano Hwasong-12

    Rússia rejeita solução militar e defende desnuclearização da Coreia do Norte

    © REUTERS / Agência Central de Notícias da Coreia do Norte (KCNA)
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Míssil de Pyongyang sobrevoa Japão (29)
    1420
    Nos siga no

    Não pode haver uma solução militar para os problemas na Península da Coreia, disse nesta terça-feira o Representante Permanente da Rússia para a Organização das Nações Unidas (ONU), Vasily Nebenzya.

    "Não há solução militar para os problemas na Península da Coreia. Acreditamos que todas as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a Coreia do Norte devem especificar esta condição", disse Nebenzya na sessão do conselho, realizada em relação ao teste balístico por Pyongyang.

    O diplomata russo pontuou que os exercícios conjuntos entre Estados Unidos e Coreia do Sul também compõem parte do problema na região, e que os dois países deveriam interromper tais manobras. Ele ainda informou que o Kremlin é favorável à desnuclearização da Coreia do Norte.

    "A normalização da situação na península requer uma abordagem que prevê tanto a suspensão dos testes nucleares e de mísseis da Coreia do Norte, quanto o abandono da acumulação militar [contra Pyongyang], incluindo o sistema THAAD, e reduzindo as manobras militares", apontou Nebenzya.

    O diplomata observou que as "idéias russo-chinesas conjuntas, que haviam sido representadas em vários formatos", poderiam ser um roteiro para a solução de crise em curso. As ferramentas políticas devem ser usadas para regular a situação na península, observou Nebenzya.

    Ainda segundo o diplomata russo, os Estados membros da ONU não devem tentar impor sanções unilaterais contra a Coreia do Norte em um esforço para resolver a crise.

    "Nós também devemos impedir que outras sanções unilaterais sejam impostas pelo próprio Conselho de Segurança da ONU", avaliou Nebenzya.

    Conselho da ONU condena teste norte-coreano

    Na reunião do Conselho de Segurança da ONU, o mais recente teste balístico da Coreia do Norte foi condenado por unanimidade, incluindo os votos da Rússia e da China. Na mesma sessão, os países reforçaram o pedido para que Pyongyang ponha um fim ao seu programa nuclear e militar.

    "O Conselho de Segurança salienta que essas ações da RPDC [Coreia do Norte] não são apenas uma ameaça para a região, mas para todos os Estados membros da ONU", disse o comunicado, emitido após conversações à porta fechada na sede da ONU.

    Por ora, o conselho afirmou que não serão impostas novas sanções contra Pyongyang – já foram sete séries de medidas impostas contra o governo de Kim Jong-un –, preferindo ressaltar que o país asiático deve seguir as sanções já impostas.

    Isso significa que a Coreia do Norte deve suspender os seus testes balísticos e nucleares. “É hora da Coreia do Norte reconhecer o perigo em que está se colocando”, opinou a embaixadora dos EUA no conselho, Nikki Haley.

    Tema:
    Míssil de Pyongyang sobrevoa Japão (29)

    Mais:

    Por que Coreia do Norte não atacou Guam e lançou míssil sobre o Japão?
    EUA, Japão e Coreia do Sul decidem dar resposta dura ao lançamento de míssil de Pyongyang
    Pyongyang: Coreia do Norte não teme nem sanções nem ameaças militares dos EUA
    Tags:
    sanções, testes balísticos, diplomacia, desnuclearização, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Kim Jong-un, Nikki Haley, Vasily Nebenzya, Rússia, Estados Unidos, Península da Coreia, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar