04:22 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Exercícios militares no Japão. 18 de agosto de 2015

    Japão pode buscar armas nucleares após teste da Coreia do Norte, diz diplomata britânico

    © AP Photo / Shizuo Kambayashi
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Míssil de Pyongyang sobrevoa Japão (29)
    1196

    O mais recente teste com mísseis balísticos da Coreia do Norte aumentará o perigo de que o Japão possa avançar para desenvolver seu próprio armamento nuclear independente, disse o diplomata do Reino Unido, Jonathan Clarke, à Sputnik.

    Na terça-feira, o Departamento de Defesa dos EUA confirmou, em um comunicado, que o míssil da Coreia do Norte, lançado na segunda-feira, era um míssil balístico de alcance intermediário.

    O projétil voou sobre o território do norte do Japão antes de pousar no Oceano Pacífico a cerca de 500 milhas náuticas a leste do Japão, acrescentou o comunicado.

    "O novo aspecto é o crescente alarme dos japoneses e sua demanda por algo mais visível e contundente", disse Clarke. "Eles [os japoneses] podem ser tentados a abrir seu arsenal nuclear e tirar dele a sua ferramenta para desenvolver sua própria dissuasão nuclear".

    Clarke também advertiu que o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que foi eleito no início deste ano em uma plataforma de melhoria das relações com Pyongyang, provavelmente responderia com um reforço militar ao longo do 38º paralelo dividindo o norte da Coreia do Sul.

    O teste de mísseis também destruiu a esperança de Rex Tillerson, do secretário de Estado dos EUA, de reduzir as tensões entre Washington e Pyongyang, observou Clarke.

    Clarke disse que a resposta internacional mais provável, liderada pelos EUA, provavelmente seria um esforço para intensificar as sanções econômicas contra a Coreia do Norte, apoiada com uma pressão diplomática mais severa e buscando que a China intensifique sua pressão sobre Pyongyang.

    "O caminho a seguir ainda consiste em aumentar as sanções, pressionar a China a agir mais duramente e, provavelmente, usar uma linguagem diplomática", afirmou.

    O lançamento norte-coreano demonstrou que Trump falhou com suas difíceis negociações e ameaças para intimidar a Coreia do Norte em apoiar ou abandonar seus programas de mísseis e desenvolvimento nuclear, observou Clarke.

    O Conselho de Segurança das Nações Unidas (UNSC) iniciou consultas fechadas na terça-feira sobre o último lançamento do míssil balístico da Coréia do Norte a pedido do Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos.

    Tema:
    Míssil de Pyongyang sobrevoa Japão (29)

    Mais:

    Representante da Rússia na ONU: uma nova abordagem à Coreia do Norte se faz necessária
    Por que Coreia do Norte não atacou Guam e lançou míssil sobre o Japão?
    EUA, Japão e Coreia do Sul decidem dar resposta dura ao lançamento de míssil de Pyongyang
    Tags:
    testes balísticos, desnuclearização, diplomacia, guerra nuclear, Conselho de Segurança da ONU, Moon Jae-in, Jonathan Clarke, Rex Tillerson, Donald Trump, China, Coreia do Norte, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar