19:26 25 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Míssil de Pyongyang sobrevoa Japão (29)
    2466
    Nos siga no

    Serão adotadas "o mais rápido possível" medidas bilaterais que expressarão a "forte vontade de responder" ao "belicismo norte-coreano".

    A liderança militar dos EUA e da Coreia do Sul concordaram em tomar medidas para responder ao lançamento de um míssil balístico norte-coreano que sobrevoou o Japão na manhã desta terça-feira (29). As medidas não excluem ações militares.

    Logo após o último teste balístico de Pyongyang, o presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA, o general Joseph Dunford, contatou por telefone o seu homólogo sul-coreano Jeong Kyeong-doo.

    Os dois generais decidiram "adotar o mais rápido possível medidas para demonstrar a forte vontade de resposta por parte dos países aliados, incluindo uma resposta militar, às provocações norte-coreanas", lê-se em um comunicado oficial divulgado pela agência Yonhap.

    O míssil balístico lançado na manhã desta terça-feira teve um alcance de cerca de 2.700 quilômetros e atingiu uma altitude máxima de 550 quilômetros. Foi lançado da região de Sunan, perto de Pyongyang, informa o exército sul-coreano.

    Jeong Kyeong-doo disse que este foi o 13º míssil balístico lançado neste ano pela Coreia do Norte, acrescentando que Pyongyang enfrentará uma "retaliação determinada" se persistir em suas ações belicistas, informou a Yonhap.

    As Forças Armadas da Coreia do Sul estão em alerta máximo. Os militares sul-coreanos, juntamente com responsáveis dos EUA, estão analisando detalhadamente os dados desse novo incidente.

    Tema:
    Míssil de Pyongyang sobrevoa Japão (29)

    Mais:

    Conselho de Segurança da ONU confirma reunião de emergência para discutir Coreia do Norte
    Como poderia ser o 'concorrente' do caça norte-americano F-35?
    Tags:
    tensão, relações bilaterais, mísseis balísticos, Joseph Dunford, EUA, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar