12:46 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Jogo norte-coreano 'Hunting Yankee' permite que usuário use um rifle para matar soldados dos EUA

    'Caçando ianques': Coreia do Norte lança jogo que permite matar soldados dos EUA (FOTO)

    © Foto / Reprodução
    Ásia e Oceania
    URL curta
    23224
    Nos siga no

    A Coreia do Norte elaborou e lançou um jogo em 3D que permite que o usuário mate soldados estadunidenses. Intitulado 'Hunting Yankee' ('Caçando ianques', em tradução livre), o game é disponibilizado em meio a uma forte tensão entre os dois países.

    De acordo com a NK News, que tomou por base as informações do portal norte-coreano Arirang Meari, os detalhes técnicos do jogo e dos seus desenvolvedores não foram revelados até o momento. Contudo, imagens do game já foram disponibilizadas na internet.

    Similar a jogos em primeira pessoa, o protagonista se arma e dispara contra inimigos que cruzam o seu caminho – no caso do lançamento norte-coreano, se tratam de soldados dos Estados Unidos, que podem ser abatidos com "um rifle de franco-atirador".

    De acordo com o portal da Coreia do Norte, "os usuários podem levar a cabo uma variedade de ações especiais em um mundo virtual que relembra a tensa cena de uma batalha". O site afirma ainda que o jogo já é um sucesso – pelo menos dentro do país asiático.

    "É um jogo de luta no qual os EUA são abatidos por um rifle em um contexto de injustiça", completa o Arirang Meari.

    O jogo norte-coreano lembra em muito jogos mais famosos, como 'Call of Duty', game este que gerou polêmica em 2009, ao permitir o massacre em um fictício aeroporto russo em um nível conhecido como 'No Russian' ('Sem russos').

    Mais:

    Que objetivo tem a aviação russa sobrevoando a península da Coreia?
    Rússia promete ajudar Seul a pôr fim ao programa nuclear da Coreia do Norte
    Coreia do Norte realiza novo teste balístico com três mísseis, dizem EUA
    Tags:
    provocação, tecnologia, hunting yankee, caçando ianques, game, Arirang Meari, NK News, Estados Unidos, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar