02:33 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Pôster Talibã no Afeganistão

    'Cemitério de militares': Talibã ameaça os EUA

    © REUTERS / Jim Hollander
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1061
    Nos siga no

    O movimento talibã ameaçou os EUA de transformar o Afeganistão em um "cemitério de militares estadunidenses", horas depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, ter anunciado sua nova estratégia que prevê enviar mais tropas para esse país.

    "Se os EUA não retirarem suas tropas do Afeganistão, o próprio Afeganistão será outro cemitério para esta superpotência do século XXI", anunciou o porta-voz do talibã, Zabiullah Mujahid, no comunicado citado pela AFP.

    Em 22 de agosto, o presidente norte-americano rejeitou uma rápida retirada das tropas estadunidenses desse país asiático, declarando que se criaria um vazio que poderia ser aproveitado pelos terroristas do Daesh e da Al-Qaeda (organizações terroristas proibidas em muitos países, incluindo a Rússia).

    O objetivo do militares dos EUA no Afeganistão, conforme as palavras de Donald Trump, será destruir esses grupos terroristas, impedir os talibãs de dominarem o país e prevenir ataques dos jihadistas contra os EUA.

    Atualmente, os EUA mantêm no Afeganistão um contingente militar de cerca de 8.400 militares, mas o Pentágono recomenda enviar mais 3.900 soldados para o país.

    Mais cedo, em 21 de agosto, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que o país deverá aumentar a sua presença com mais tropas no Afeganistão. A decisão, tomada no fim de semana, faz parte de uma nova estratégia de combate ao terrorismo.

    Mais:

    Não há provas que a Rússia forneceu armas ao Talibã, diz militar dos EUA
    Mina terrestre mata dez militantes do Talibã no Afeganistão
    Rússia nega acusação dos EUA de que forneceria armas ao Talibã
    Moscou desmente declarações dos EUA de que Rússia ajuda os Talibã
    Tags:
    ataques terroristas, jihadistas, terroristas, superpotência, presença militar, estratégia, militares, cemitério, Al-Qaeda, Daesh, Talibã, Donald Trump, Afeganistão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar