15:29 11 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2835
    Nos siga no

    A Austrália prestará ajuda aos EUA caso a Coreia do Norte ataque qualquer infraestrutura estadunidense, declarou o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull.

    "Temos o acordo ANZUS (acrónimo de Austrália, Nova Zelândia e EUA) e, caso tenha lugar um ataque contra a Austrália ou os EUA […], cada um de nós prestará ajuda ao outro", afirmou o chefe do governo australiano, citado pelo jornal Sydney Morning Herald.

    Turnbull avisou que "caso a Coreia do Norte lance qualquer tipo de ataque contra os EUA, serão invocados os termos do ANZUS e a Austrália fornecerá ajuda aos EUA".

    A edição assinalou que isso significa que Camberra ativará este acordo pela segunda vez na história.

    Em 2001, o primeiro-ministro australiano John Howard propôs a Washington cumprir seus compromissos da aliança em consequência dos atentados de 11 de setembro contra as Torres Gémeas de Nova Iorque. 

    Entretanto, Turnbull descartou que o governo estadunidense venha a instalar no país sistemas de defesa antimíssil similares ao THAAD, já que esses sistemas são concedidos para proteger uma extensão limitada de território.

    A Coreia do Norte, que realizou no ano corrente onze testes de mísseis balísticos, incluindo de longo alcance e supostamente capazes de alcançar o território dos EUA, ameaçou esta semana lançar um ataque de advertência, disparando seus mísseis contra a ilha de Guam, onde se situam duas bases norte-americanas.

    Por sua vez, Trump afirmou que Washington responderá com "fogo e fúria" a Pyongyang, e frisou que sua primeira ordem executiva foi modernizar o arsenal nuclear dos EUA, que está agora "mais forte que nunca".

    Mais:

    Austrália recomeçará seus ataques aéreos na Síria após aviso da Rússia
    Austrália responde às ameaças da Coreia do Norte
    Armada submarina: Austrália avança no 'projeto de defesa mais ambicioso' de sua história
    Tags:
    acordo, míssil balístico, ajuda, Malcolm Turnbull, Coreia do Norte, EUA, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar