10:50 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Bandeiras nacionais dos EUA e da China

    Tensão: China diz que destróier dos EUA no mar do Sul da China viola soberania

    © AP Photo/ Andy Wong
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1552

    O Ministério de Relações Exteriores da China afirmou que o destróier dos Estados Unidos que estava realizando “uma operação de liberdade de navegação” nesta quinta-feira no mar do Sul chinês violou as leis internacionais e da própria nação asiática.

    A pasta complementou a queixa, afirmando que tal navegação violou a soberania e a segurança de Pequim.

    “As ações do destróier dos EUA violaram as leis chinesas e internacionais, além de prejudicar gravemente a soberania e a segurança da China”, afirmou o Ministério na quinta-feira, em um comunicado em seu site oficial.

    As autoridades dos EUA disseram anteriormente à Agência Reuters que o destróier USS John S. McCain (DDG 56) navegou perto do recife de Mischief (Meiji) das ilhas Spratly (Nansha), situadas em águas territoriais disputadas pela China e outros países.

    “A China está muito insatisfeita com isso e irá abordar o problema com o lado estadunidense”, completou o comunicado do Ministério de Relações Exteriores chinês.

    Ainda de acordo com a Reuters, o incidente ocorreu no contexto do desejo da administração do presidente dos EUA, Donald Trump, do estabelecimento de cooperação internacional que ajudaria a acabar com os programas nucleares e de mísseis da Coreia do Norte.

    Na verdade, trata-se da terceira "operação" semelhante desde a posse de Trump, em janeiro de 2017, indicou a agência.

    Há várias décadas, Pequim está envolvida em disputas territoriais com alguns países da região da Ásia-Pacífico pelo poderio de ilhas com plataforma continental rica em hidrocarbonetos. Trata-se do arquipélago de Spratly, das ilhas Paracel e Scarborough Shoal, que são alvo de disputas territoriais entre China, Vietnã, Brunei, Malásia e Filipinas.

    Mais:

    Como os EUA chantageiam a China
    O dragão levanta voo: China está a ponto de entrar no clube das potências nucleares
    Opinião: China se prepara para diferentes cenários da crise na península da Coreia
    Tags:
    Marinha, Mar do Sul da China, ddg 56, uss john s. mccain, Marinha dos EUA, Donald Trump, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik