05:52 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados chineses gritando slogans enquanto o presidente Xi Jinping inspeciona o Exército de Libertação Popular, em 30 de junho de 2017

    China acusa Japão de denegrir seu exército

    © AP Photo / Kin Cheung
    Ásia e Oceania
    URL curta
    7103

    A China apresentou reclamações ao Japão devido a umas publicações no Livro Branco, relatório para defesa de 2017, que "são falsas e difamam" a República Popular da China, declarou o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Wu Qian.

    Na terça-feira (8), o Japão publicou seu Livro Branco de 2017 (documento oficial do governo) onde, segundo declarou a China, 34 de 560 páginas são dedicadas a "observações imprudentes em relação ao sistema de defesa nacional da China".

    "Conteúdo do 'Livro Branco' do Japão, publicado pelo Ministério da Defesa deste país no dia 8 de agosto de 2017, é composto por informações sobre a China apoiadas em clichês banais, bem como dados que visam difamar o Exército de Libertação Popular chinês e enganar a comunidade internacional. O Exército da China manifesta-se categoricamente contra a ação e já apresentou reclamações à parte japonesa", declarou o representante oficial do Ministério da Defesa chinês.

    Além disso, no Livro Branco, o Japão também acusa a China de tentar mudar o status quo na área dos mares do Sul da China e da China Oriental.

    Segundo indicou Wu Qian, "na verdade, é a parte japonesa que tenta mudar o status quo e que preocupa a comunidade internacional".

    Em sua opinião, além de violar o status quo, o Japão desestabiliza a situação na região através do aumento constante de suas capacidades militares e deslocamento de forças.

    Mais:

    Japão sai prejudicado por apoiar EUA em oposição à China
    EUA e Japão usam G7 para pressionar China?
    Sistemas de defesa antimíssil que Japão compra podem ser usados contra China
    Japão toma medidas especiais em meio à atividade de navios militares da China
    Tags:
    comunidade internacional, apresentação, status, Ministério da Defesa da China, Exército Popular de Libertação, Wu Qian, China, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik