12:31 01 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    220
    Nos siga no

    As autoridades da prefeitura japonesa de Okinawa, onde estão localizadas bases militares dos EUA, declararam suas objeções à continuação dos voos de convertiplanos MV-22 Osprey, depois do acidente letal que há pouco aconteceu, relata a mídia local na terça-feira (8).

    Em 5 de agosto a imprensa noticiou a queda de uma aeronave Osprey na costa leste da Austrália. O Departamento da Defesa anunciou na segunda-feira (7) que 3 militares norte-americanos morreram em resultado do acidente.

    O vice-governador de Okinawa, Moritake Tomikawa, se encontrou com o comandante das forças dos EUA em Okinawa, o tenente-general Lawrence Nicholson, e expressou seu descontentamento por os EUA não cessarem os voos de aeronaves Osprey apesar das demandas repetidas das autoridades locais e dos residentes, relata a emissora NHK.

    O responsável militar dos EUA respondeu que os Ospreys são usados por todo o mundo e que Washington não tem planos de desmantelar estas aeronaves, de acordo com a emissora.

    Apesar de o vice-governador de Okinawa ter pedido aos EUA para se absterem de usar os Ospreys pelo menos até o fim da investigação do acidente ocorrido, a emissora revelou que os voos continuam na região da base norte-americana de Futenma, na mesma prefeitura.

    Aviões e helicópteros na Estação Aérea da Unidade Naval de Futenma, Ginowan, província de Okinawa
    © AFP 2020 / TOSHIFUMI KITAMURA
    Segundo os dados fornecidos à Sputnik pela administração da prefeitura, em Okinawa estão 25.800 militares norte-americanos e 19.000 membros de suas famílias e civis dos EUA. Lá se encontram concentradas 70% de todas as estruturas militares dos EUA no Japão, embora Okinawa represente só 1% do território japonês.

    Além do incómodo psicológico causado pelo ruído das aeronaves, os habitantes de Okinawa se preocupam com a poluição ambiental e o aumento da criminalidade provocadas pela base aérea.

    Mais:

    EUA realizaram exercícios de paraquedistas em Okinawa, apesar da oposição dos habitantes
    Okinawa poderá cair nas mãos da China?
    Autoridades de Okinawa têm de aceitar a presença norte-americana na ilha
    Tags:
    base militar, protestos, queda, helicóptero, Marinha dos EUA, Austrália, Okinawa, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar