09:41 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Fronteira da China com a Coreia do Norte

    China: Norte-coreanos que cruzam fronteira ilegalmente não serão considerados refugiados

    © AP Photo / Ng Han Guan, File
    Ásia e Oceania
    URL curta
    864
    Nos siga no

    A China disse nesta segunda-feira (horário local) que tinha tratado adequadamente a questão de alguns norte-coreanos que entram ilegalmente no país, dizendo que "aqueles que entram ilegalmente não podem ser categorizados como refugiados".

    "Os norte-coreanos que ilegalmente entraram na China não são refugiados. Eles quebraram a lei da China e entraram no país de forma ilegal", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, em uma reunião.

    O governo chinês trata adequadamente as questões relacionadas com a entrada ilegal de norte-coreanos de acordo com a lei da China, o direito internacional e o princípio do humanitarismo, de acordo com Lu.

    As observações vieram depois que Tomas Ojea Quintana, relator especial da ONU sobre direitos humanos na Coreia do Norte, disse na sexta-feira que estava "alarmado" com o suposto aumento das repatriações de norte-coreanos da China, informou a AFP.

    "Instamos o mecanismo dos direitos humanos das Nações Unidas a respeitar os princípios da Carta da ONU e as pessoas relevantes para cumprir seus deveres de maneira justa e objetiva", afirmou Lu. "Nós também pedimos que respeite a aplicação normal da lei das organizações judiciais da China", acrescentou.

    Mais:

    Embaixadora dos EUA na ONU diz que 'está na hora da China agir' contra Coreia do Norte
    'Vamos lutar com os ianques': como se ensinam as crianças na Coreia do Norte
    Alemanha pede 'resposta conjunta clara' ao lançamento de míssil da Coreia do Norte
    Após 2° teste com ICBM norte-coreano, EUA e Coreia do Sul discutem opção militar
    Japão diz que não vai tolerar novas provocações da Coreia do Norte
    Tags:
    Carta da ONU, Ministério das Relações Exteriores da China, Tomas Ojea Quintana, Lu Kang, Coreia do Norte, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar