13:17 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    032
    Nos siga no

    Os lançamentos de mísseis balísticos efetuados por Pyongyang só vão causar pressão econômica e levar ao isolamento diplomático do país, mas o que é certo é que eles nunca vão contribuir para que a Coreia do Norte se torne uma potência nuclear, comunicou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul.

    Seul criticou o último lançamento do míssil norte-coreano realizado em 28 de julho.

    "Se a Coreia do Norte acredita que vai ser considerada potência nuclear pela comunidade internacional aumentando as suas provocações nucleares, é uma ilusão anacrónica. Ela tem que se lembrar que tais provocações numerosas vão só provocar  pressão econômica e levar ao isolamento diplomático do país", indica o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul no seu comunicado.

    O ministério também acrescenta que as  autoridades de Seul têm a intenção de reforçar a sua cooperação com as potências mundiais para "assegurar  uma resposta às provocações, nomeadamente a adopção de uma resolução da ONU sobre o aumento de sanções contra Pyongyang". 

    "As provocações da Coreia do Norte não só constituem uma violação das resoluções da ONU, mas também de uma ameaça séria para o mundo e para a segurança na península da Coreia, o que condenamos vigorosamente", adiantou o comunicado. 

    Adicionalmente o ministério sul-coreano manifestou a esperança de que Pyongyang responda positivamente à proposta de Seul sobre o estabelecimento do diálogo entre representantes dos países, contribuindo para a desnuclearização da península coreana.

    Mais:

    Estados Unidos e Coreia do Sul lançam mísseis balísticos em resposta a Pyongyang
    Mesmo ignorada, Coreia do Sul insiste em negociar com a Coreia do Norte
    Tags:
    Coreia do Norte, Coreia do Sul, Ministério das Relações Exteriores, ameaça, política, crise, míssil, lançamento, opinião, defesa, tensões
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar