00:50 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Plataforma de petróleo 981, a primeira plataforma de exploração em águas profundas desenvolvida na China, a 320 quilômetros ao sudeste de Hong Kong, no Mar do Sul da China

    Pequim promete atacar instalações de perfuração do Vietnã no mar do Sul da China

    © AP Photo / Jin Liangkuai
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5167
    Nos siga no

    A operação de perfuração de uma jazida de gás realizada pela companhia espanhola Repsol, autorizada pelo Vietnã, terminou, alegadamente devido às ameaças da China de atacar as instalações vietnamitas no mar do Sul da China.

    A descoberta da jazida de gás foi divulgada há poucos dias, conforme noticiou na segunda-feira (24) o BBC.

    Pequim supostamente advertiu Hanói de que as bases vietnamitas, localizadas no arquipélago Spratly seriam alvo das forças do Exército de Libertação Popular se a operação de exploração de gás não fosse cancelada imediatamente, de acordo com um interlocutor do BBC.

    "Em 15 de julho, fontes bem informadas em Hanói comunicaram de modo privado que o Vietnã ordenou à filial da espanhola Repsol para que suspendesse exploração de petróleo no bloco 136-03, no mar do Sul da China", disse um diplomata na segunda-feira (24), acrescentando que "nove dias depois, isso foi finalmente confirmado pela notícia do BBC".

    As águas em disputa foram arrendadas pelo Vietnã à subsidiária da Repsol, Talisman-Vietnam, enquanto as autoridades da China, que também reivindicam a área, concederam direitos de exploração de uma parte da área a uma outra empresa.

    De acordo com o comunicado do diplomata, o general chinês Fan Changlong viajou a Madri em junho, onde discutiu a exploração de gás e petróleo pela Repsol. Depois do encontro, o general voltou para Hanói e pediu que o governo vietnamita terminasse a perfuração. As autoridade vietnamitas recusaram, argumentando que o Vietnã tem soberania sobre as zonas econômicas exclusivas onde se encontra o bloco 136-03.

    Para tornar o domínio de gás economicamente vantajoso, a Repsol investiu cerca de 300 milhões de dólares (R$ 943,83 milhões), disse o analista ao BBC. Por isso, os observadores ficaram surpreendidos quando o Vietnã cancelou a exploração, mas uma "fonte diplomática" no governo vietnamita confirmou ao BBC que a Repsol tinha recuado.

    Segundo os dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos, no mar do Sul da China "pode haver entre 5 e 22 bilhões de barris de petróleo e entre 21 e 88 trilhões de metros cúbicos de gás em recursos ainda não descobertos".

    "Os recursos não descobertos podem ser maiores" do que prevê o Serviço Geológico, afirmou a Administração de Informação Energética dos EUA. Segundo a organização, "a companhia petrolífera chinesa China National Offshore Oil Corporation calculou que a área contém 125 bilhões de barris de petróleo e 152 trilhões de metros cúbicos de gás natural".

    Estes indicadores foram excluídos das previsões "porque não está claro se será economicamente viável extraí-los", notou a Administração de Informação Energética.

    Mais:

    Polícia do Vietnã apreende 3 toneladas de marfim
    Caças chineses interceptam avião dos EUA no mar da China Oriental
    Tags:
    ameaças, disputa territorial, exploração, petróleo e gás, Mar do Sul da China, Vietnã, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar