04:33 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Resíduos industriais jogados no oceano Pacífico (arquivo)

    China decide suspender importação de lixo estrangeiro

    © AP Photo / Scripps Institution of Oceanography, Mario Aguilera
    Ásia e Oceania
    URL curta
    280
    Nos siga no

    A China informou à Organização Mundial do Comércio nesta terça-feira que deixará de receber carregamentos com detritos do exterior, como plástico e papel, em uma nova campanha contra o "lixo estrangeiro".

    A medida, que entrará em vigor no final de 2017, incluirá diversos tipos de resíduos provenientes da produção industrial, incluindo subprodutos da siderurgia, cinzas, tecidos e fios. 

    Rio no Colorado após vazamento de material tóxico.
    © REUTERS / Contaminação química (imagem referencial)

    "Descobrimos que grande quantidade de resíduos sujos ou mesmo resíduos perigosos são misturados nos resíduos sólidos que podem ser utilizados como matéria-prima. Isso poluiu seriamente o meio-ambiente na China", diz o documento enviado pela delegação chinesa e reproduzido pela Reuters. "Para proteger os interesses ambientais da China e a saúde de sua população, estamos ajustando em caráter de urgência a lista de resíduos sólidos importados, proibindo a importação de resíduos altamente poluídos". 

    A China é a maior importadora de resíduos no mundo. No ano passado, o país recebeu 7,3 toneladas apenas de restos de plástico, o que corresponde a 56% do total mundial e a 3,7 bilhões de dólares em valor de mercado. Além de Hong Kong, os maiores fornecedores foram o Japão e os Estados Unidos, que responderam por cerca de 10% desse volume cada um, de acordo com o Centro Internacional de Comércio. Esses dois países também são as maiores fontes do papel usado comprado pelos chineses, respondendo pela metade do total importado por Pequim. 

    Em abril, o governo chinês lançou um plano para reformar o gerenciamento de resíduos importados. No início deste mês, o Ministério de Proteção Ambiental realizou uma grande operação para inspecionar as empresas nacionais do setor, e identificou uma série de irregularidades cometidas pelas mesmas. Ao todo, 66% das companhias visitadas, ou 590, em números absolutos, apresentaram alguma violação.

    Mais:

    Às vésperas da Conferência do Clima, Brasil ainda usa lixões para resíduos sólidos
    Montanha de lixo desaba e mata pelo menos 46 pessoas na Etiópia
    Suécia usa método mais asqueroso do mundo em reciclagem de lixo
    Nave japonesa falha em recolher lixo espacial
    Tags:
    comércio, resíduos tóxicos, detritos, lixo, OMC, Hong Kong, Estados Unidos, Japão, Pequim, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar