11:22 17 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Manifestantes levam velas e flores em marcha para lamentar a morte do premio Nobel Liu Xiaobo, em Hong Kong

    Família de ativista chinês Liu Xiaobo agradece Pequim pelo 'espírito humanitário'

    © REUTERS / Bobby Yip
    Ásia e Oceania
    URL curta
    430

    O irmão do ganhador do Nobel da Paz Liu Xiaobo, Liu Xiaoguang, agradeceu o apoio do governo ao tratamento e aos serviços funerários prestados a Liu Xiaobo em uma coletiva de imprensa em Shenyang, na província de Liaoning, no nordeste da China.

    A esposa de Liu Xiaobo, Liu Xia, estava ausente na coletiva de imprensa devido à sua fraca condição, disse Liu Xiaoguang.

    "Em nome dos outros membros da família Liu Xia e Liu Xiaobo, gostaria de agradecer cada vez mais o cuidado humanista do Partido e do governo", disse Liu Xiaoguang, acrescentando que, em relação à situação especial de Liu Xiaobo, o governo mostrou um espírito humanitário.

    Todos os pedidos e desejos do funeral de Liu Xiaobo feitos pelos membros da família foram concedidos através do apoio do governo e o funeral foi realizado de forma perfeita e além de suas expectativas, disse ele.

    O irmão de 68 anos disse durante todo o processo, começando pelo tratamento, cremação e espalhamento de cinzas no mar, "tudo reflete a vantagem do sistema socialista" e que "os principais especialistas do país e do exterior se reuniram para o tratamento de Liu Xiaobo".

    O professor Markus M. Buachler da Universidade Alemã de Heidelberg e o professor Joseph M. Herman do US MD Anderson Cancer Center foram convidados para o primeiro hospital da China Medical University em Shenyang para tratamento.

    Liu Yunpeng, médico assistente de Liu Xiaobo, disse em uma coletiva de imprensa de quinta-feira que o hospital fez todo o possível para tratar o paciente, incluindo 25 consultas conjuntas do hospital, cinco consultas conjuntas envolvendo especialistas líderes da China e uma que envolveu especialistas internacionais.

    Os restos cremados de Liu Xiaobo foram espalhados no mar no sábado após uma cerimônia de despedida no sábado de manhã em Shenyang. Amigos reclamaram, porém, que o funeral foi apressado e dando pouca margem para uma despedida. O artista plástico Ai Weiwei, amigo de Liu, chegou a afirmar que o despejo das cinzas no mar foi uma forma de negar "um local físico de memória", onde se pudesse prestar homenagem o Nobel da Paz e às suas ideias.

    Liu Xiaobo, 61, morreu de câncer de fígado na quinta-feira, após falência grave de múltiplos órgãos. Ele foi condenado a 11 anos de prisão em 25 de dezembro de 2009, depois que um tribunal em Pequim o condenou por tentar derrubar o governo.

    Tags:
    Nobel da Paz, US MD Anderson Cancer Center, China Medical University, Ai Weiwei, Liu Yunpeng, Joseph M. Herman, Markus M. Buachler, Liu Xiaoguang, Liu Xia, Liu Xiaobo, Shenyang, Pequim, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar