23:58 19 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Chefe da empresa ExxonMobil, Rex Tillerson, durante o encontro com o então primeiro-ministro (agora presidente) da Rússia, Vladimir Putin, na residëncia em Novo-Ogarevo, abril de 2012

    Congelamento nuclear da Coreia do Norte não é o bastante, diz secretário dos EUA

    © Sputnik / Aleksei Nikolsky
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (186)
    25113

    O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, afirmou nesta sexta-feira que o congelamento do programa nuclear da Coreia do Norte não é mais aceitável, já que as capacidades militares do país asiático progrediram demais e precisam recuar.

    Tillerson aproveitou para recusar a oferta feita por Rússia e China, que acreditam na mediação diplomática do conflito e na necessidade de suspensão dos exercícios militares conjuntos entre norte-americanos e sul-coreanos – uma exigência de Pyongyang para dialogar.

    “O presidente Putin, penso eu, expressou uma visão diferente da China, que eles iriam suportar um congelamento pelo congelamento [do programa]. O problema com o congelamento agora, se congelarmos onde estão hoje, congelamos suas atividades com um nível muito alto de capacidade. E nós não pensamos que isso também estabeleça o tom certo para onde essas negociações devem começar”, disse Tillerson.

    A avaliação foi feita durante as conversações entre o presidente russo Vladimir Putin e o líder norte-americano Donald Trump, em Hamburgo (Alemanha), que foi palco do G20, o encontro das 20 maiores economias do mundo. Para o secretário de Estado, Pyongyang precisa estar preparada para as demandas da Casa Branca.

    “Não estamos interessados em falar: ‘Como nós temos que parar onde você está hoje?’. Porque parar onde eles estão hoje não é aceitável para nós”, emendou.

    Washington e Moscou trataram do tema norte-coreano em Hamburgo, mas de acordo com Tillerson os russos veem a situação “um pouco diferente” do que os EUA.

    “Vamos continuar essas discussões e vamos pedir a eles que façam mais. A Rússia tem laços econômicos com a Coreia do Norte, então vamos trabalhar com eles para ver se conseguimos persuadi-los a ver a mesma urgência que vemos”, analisou Tillerson.

    O secretário dos EUA ainda voltou a cobrar mais esforços da China – como já fez anteriormente o presidente Trump –, enquanto o presidente sul-coreano Moon Jae-in usou o G20 para pedir o apoio da comunidade internacional em prol da desnuclearização da Península Coreana.

    Tema:
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (186)

    Mais:

    Bombardeiros dos EUA e caças da Coreia do Sul fazem exercício militar conjunto
    Coreia do Norte promete mais 'pacotes de presentes' para os EUA
    Pyongyang: destruir a Coreia do Sul seria 'moleza'
    Tags:
    diplomacia, guerra nuclear, ameaça nuclear, desnuclearização, G20, Moon Jae-in, Vladimir Putin, Donald Trump, Rex Tillerson, Alemanha, Hamburgo, China, Rússia, Península Coreana, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar