23:50 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Ártico

    Japão, China e Coreia do Sul se juntam para uma missão especial

    © AP Photo / Marinha dos EUA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    460
    Nos siga no

    Japão, China e Coreia do Sul anunciaram na quinta-feira que se uniram para um estudo científico conjunto no oceano Ártico para preparar o terreno para o desenvolvimento de recursos futuros e a abertura de novas rotas de transporte.

    Os países da Ásia Oriental chegaram ao acordo durante as suas segundas conversas trilaterais de alto nível sobre questões do Ártico no Ministério das Relações Exteriores em Tóquio. A primeira rodada de negociações foi realizada em Seul em abril do ano passado.

    De acordo com funcionários japoneses, as nações irão explorar uma série de questões em conjunto, como os níveis de poluição marinha e o impacto das mudanças climáticas na região. O Ártico tem atraído a atenção internacional nos últimos anos devido às suas reservas de petróleo, gás e metal das terras raras inexploradas.

    Uma declaração conjunta emitida após as negociações disse que as mudanças climáticas criaram desafios e oportunidades e que o assunto deve ser abordado mais detalhadamente a nível global.

    "É indispensável que a comunidade internacional assegure a proteção e preservação do frágil meio marinho do oceano Ártico e mantenha a paz, estabilidade e cooperação construtiva baseada em uma ordem marítima baseada em regras", afirma o comunicado.

    Urso polar no Ártico
    © AP Photo / Subhankar Banerjee, File
    Os três lados decidiram enviar as discussões ao Conselho do Ártico, que inclui Canadá, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega, Rússia, Suécia e Estados Unidos. Há quatro anos, o Japão, a China e a Coreia do Sul se juntaram ao órgão intergovernamental como observadores.

    Os países esperam usar os dados coletados para garantir que o meio ambiente seja protegido durante o trabalho de desenvolvimento e para prever o melhor momento para a navegação no Oceano Ártico, disseram as autoridades.

    A China vai sediar o terceiro diálogo trilateral de alto nível no Ártico em 2018.

    Mais:

    EUA têm que evitar 'dominação russa' no Ártico, diz indicado de Trump ao Pentágono
    Plataforma continental: reivindicações russas do Ártico não representam nenhum perigo
    'Trifólio Ártico': base militar russa exclusiva
    Participe de excursão 3D pela nova base russa no Ártico
    Tags:
    Conselho do Ártico, Ministério das Relações Exteriores, Canadá, Finlândia, Dinamarca, Estados Unidos, Rússia, Suécia, Noruega, Islândia, Pequim, China, Coreia do Sul, Tóquio, Seul, Japão, Ásia, Ásia Oriental, Ártico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar