14:47 23 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Manobras de artilharia em grande escala em homenagem do 85 ͦ aniversário do Exército Popular da Coreia do Norte

    À beira da catástrofe: ataque dos EUA contra Pyongyang é inevitável?

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    845313

    Os Estados Unidos estão preparando um ataque contra a Coreia do Norte que possivelmente trará consequências catastróficas, afirma o fundador da mídia Geopolitical Futures, George Friedman, citado pelo Business Insider.

    As recentes ações da Coreia do Norte não deixaram outra opção aos EUA senão a confrontação, mas é improvável que os EUA atuem antes que o dirigente do país, Donald Trump, regresse da sua viagem oficial ao estrangeiro, considera Friedman.

    Segundo a análise do Geopolitical Futures, tudo indica que a rivalidade entre os dois países está crescendo à medida que a guerra entre eles se torna iminente.

    Friedman declarou que os porta-aviões USS Ronald Reagan e USS Carl Vinson estão a uma distância de ataque e aptos para lançar uma ofensiva contra Pyongyang. O analista assinala que mais de 100 aviões F-16 realizam diariamente exercícios na área. De acordo com Friedman, esta tática se parece muito com aquilo que pressagiou a operação Tormenta do Deserto contra o Iraque em 1991.

    "O resultado de todos estes passos estratégicos será um conflito", diz a nota.

    Os problemas causados por este possível conflito serão inumeráveis. Os 25 milhões de pessoas que habitam a área metropolitana de Seul vivem ao alcance da maior parte da artilharia norte-coreana, sublinha Friedman.

    Segundo adiantou o especialista, qualquer ataque contra Pyongyang resultaria em uma represália contra Seul.

    "Não podemos nos permitir o enorme número de vítimas que [esta guerra] causaria", declarou Friedman e resumiu que os EUA terão que neutralizar a artilharia do país asiático através de bombardeios estratégicos.

    O segundo problema é a imperfeição do serviço de inteligência americana na Coreia do Norte, porque o efeito da informação incorreta poderia resultar em baixas consideráveis.

    Além disso, Friedman indicou que a base americana de Guam pode estar a alcance dos mísseis norte-coreanos e esta seria uma das poucas razões que poderiam dissuadir Washington de realizar um ataque contra Pyongyang.

    O especialista concluiu que os dirigentes norte-coreanos "nem estão loucos, nem são estúpidos" e têm "tendências homicidas, mas não suicidas".

    Mais:

    Coreia do Sul determina objeto não identificado lançado da Coreia do Norte
    Pyongyang acusa EUA de impedir cooperação entre Rússia e Coreia do Norte
    Tropas sul-coreanas abrem fogo contra objeto não identificado da Coreia do Norte
    Tags:
    mísseis balísticos, ataque, USS Ronald Reagan, USS Carl Vinson, Donald Trump, Pyongyang, Seul, Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik