05:05 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un

    Coreia do Norte pede fim da confrontação às vésperas das eleições em Seul

    © Sputnik/ Ilia Pitalev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (185)
    8915793239

    A Coreia do Norte pediu nesta segunda-feira o fim da confrontação com Seul às vésperas das eleições presidenciais no país vizinho, informou a agência sul-coreana Yonhap.

    “As trágicas relações entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul têm sido operadas pelos grupos conservadores que, tendo estado no poder nos últimos 10 anos, reavivaram o período de confronto anterior e maximizaram a rivalidade política e militar entre a mesma raça”, escreveu o jornal norte-coreano Rodong Sinmun, ligado ao Partido dos Trabalhadores do país.

    A votação para as eleições presidenciais sul-coreanas acontece nesta terça-feira. O país irá escolher quem sucederá a presidente Park Geun-hye, que foi retirada do poder por acusações de corrupção durante o seu mandato.

    A pesquisa mais recente aponta que o líder na preferência do eleitorado é Moon Jae-in, do Partido Democrático.

    Aos 64 anos, o advogado de direitos humanos lidera por ampla margem apóia a aliança de Seul com os Estados Unidos (embora com críticas à postura de Donald Trump), e defende uma política de diálogo com Pyongyang – posição duramente pelos conservadores –, que vigorou até 2008 na gestão do presidente sul-coreano Roh Moo-hyun, ao qual Moon também serviu durante o mandato.

    A perspectiva de ter em Seul um presidente mais focado no diálogo e em investimentos, ao contrário da política de sanções, animou o regime de Kim Jong-un.

    “O anseio de paz do nosso povo tem sido impiedosamente atropelado pelos grupos conservadores, seguidores maníacos de confrontação”, afirmou o jornal norte-coreano.

    “A história do confronto inter-coreano, liderada pelos conservadores, deve ser posta fim e uma nova era de unificação deve abrir-se em colaboração entre a nossa raça. Para esse fim, o esquema dos grupos conservadores para pegar o poder novamente deve ser resolutamente despedaçado”, concluiu a publicação.

    Um dia antes, o mesmo jornal norte-coreano criticou o presidente em exercício Hwang Kyo-ahn pela manutenção da política atual e até mesmo o aumento das sanções contra Pyongyang.

    A chance dos conservadores no pleito, aliás, repousa nas mãos de Hong Joon-pyo, que apresentou uma retórica próxima a deTrump nos EUA. As possibilidades dele vencer, porém, são tidas como remotas, sobretudo pelo descrédito em que caíram os conservadores após o impeachment de Park Geun-hye.

    Tema:
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (185)

    Mais:

    Pentágono investiga cooperação entre Irã e Coreia do Norte
    Conheça a próxima crise nuclear mundial – e que não envolve EUA e Coreia do Norte
    Estará Coreia do Norte escavando túneis subterrâneos secretos para atingir Seul?
    Tags:
    guerra nuclear, guerra, reunificação, política, eleições na Coreia do Sul, Hwang Kyo-ahn, Park Geun-hye, Moon Jae-in, Kim Jong-un, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Península Coreana
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik