04:54 18 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Material bélico da Coreia do Norte mostrado durante o desfile militar

    Analista militar: Pyongyang pode começar a produzir míssil balístico de médio alcance

    © Sputnik/ Ilia Pitalev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    10151

    A Coreia do Norte está terminando o ciclo de testes do míssil balístico do médio alcance e pode passar à sua produção em série em breve, comunicou à Sputnik analista russo Viktor Murakhovsky.

    "Eles continuam testando o seu míssil do médio alcance, que foi construído com base na plataforma do míssil R-27 soviético. A Coreia do Norte está terminando o ciclo de testes e em breve pode começar a produção em série do míssil, com um alcance de 2,5 a 3 mil quilômetros", acrescentou Murakhovsky. 

    ​O analista russo acrescentou que hoje em dia a Coreia do Norte tem uma percentagem de lançamentos falhados muito elevada. Isso, segundo ele, mostra que a sua tecnologia de produção não funciona adequadamente. 

    O analista acrescentou que a Coreia do Norte está lançando os seus mísseis para o mar, por isso estes não podem ser recuperados para perceber quais foram as falhas. 

    "Eles também testaram o seu míssil anterior R-17 durante muito tempo e, por fim, conseguiram um resultado aceitável. Agora a Coreia do Norte fornece estes mísseis, com o alcance de cerca de 900 quilômetros, para cerca de 15 países do mundo, incluindo o Paquistão e os Emirados Árabes Unidos", sublinhou Murakhovsky. 

    No sábado (29) os militares sul-coreanos comunicaram que a Coreia do Norte tinha realizado o lançamento de míssil do tipo não revelado na província de Pyeongan do Sul. 

    Os militares dos EUA e da Coreia do Sul afirmam que o míssil explodiu logo após o lançamento.  

    Mais:

    Mídia da Coreia do Norte acusa Seul de violar fronteiras do país
    Sistema russo de defesa antimíssil está em alerta máximo após teste da Coreia do Norte
    Tags:
    militares, produção, capacidade, tensão, lançamento, teste, míssil, opinião, analista, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik