05:28 24 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Donald Trump discursando em Washington, 2 de fevereiro de 2017

    Trump não planeja abrandar sua posição em relação à China

    © REUTERS/ Carlos Barria
    Ásia e Oceania
    URL curta
    81371012

    O presidente dos EUA, Donald Trump, declarou em entrevista ao canal de televisão Fox News que não abrandou sua posição sobre China.

    "Não abrandei minha posição", respondeu Trump às palavras da apresentadora do programa Fox & Friends sobre mensagens da mídia quanto ao abrandamento de sua posição em relação à China.

    "China tenta nos ajudar. Não sei se conseguirão ajudar ou não", destacou Trump, levando em consideração o apoio da China na situação com Coreia do Norte.

    O presidente também sublinhou que a informação em questão é divulgada pela mídia responsável por "notícias falsas".

    No decurso da entrevista, Donald Trump apontou que não planeja apresentar reclamação alguma à China devido à suposta manipulação monetária chinesa, por enquanto a China vem tentando resolver a situação norte-coreana.

    Na sexta-feira (14), o Departamento do Tesouro dos EUA oficialmente rejeitou atribuir à China status de manipulador monetário apesar das promessas de Donald Trump, feitas durante sua companha eleitoral.  Na época, Donald Trump prometeu fazê-lo no primeiro dia de sua presidência.

    Na semana passada, o presidente norte-americano declarou que não acredita mais que China diminua o valor da sua moeda nacional para se beneficiar no comércio exterior.

    No entanto, o Departamento do Tesouro dos EUA adicionou China, Alemanha, Japão, Coreia do Sul e Taiwan na lista dos países sujeitos à vigilância devido a possíveis especulações.

    Mais:

    EUA poderiam sobreviver a uma guerra contra Rússia e China?
    EUA enviaram mais um contratorpedeiro ao Mar da China Meridional
    EUA vencem ao receber apoio da China na ONU
    Trump escreve que EUA podem 'resolver problema' coreano sem China
    Tags:
    moeda nacional, posição, reclamação, política monetária, manipulação, Departamento do Tesouro, Donald Trump, Coreia do Norte, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik