00:51 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Cidade de Pyongyang, capital da Coreia do Norte (arquivo)

    Sob sanções, Pyongyang expressa desejo de fortalecer laços com Moscou

    © Sputnik/ Ilia Pitalev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1019673788

    A Coreia do Norte tem a intenção de desenvolver as relações com a Rússia, uma vez que as duas nações se encontram atingidas por medidas restritivas impostas por Estados Unidos e outros países ocidentais, segundo afirmou a chancelaria norte-coreana neste domingo.

    Na última sexta-feira, o embaixador russo em Pyongyang, Aleksandr Matsegora, disse à Sputnik que Moscou e Pequim não queriam causar um caos econômico e social na Coreia do Norte com novas sanções propostas pelos EUA como principal forma de parar o programa nuclear norte-coreano. 

    "A Rússia, assim como o nosso país, está sob sanções dos Estados Unidos e do Ocidente. Nós temos que desenvolver relações de amizade. Será do interesse dos dois países", disse o vice-diretor do departamento europeu do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Kim Yong, em conversa com jornalistas russos, destacando três visitas realizadas pelo antigo líder Kim Jong-il à Rússia. 

    "Os encontros de alto nível e os documentos entre os países são base para futuro desenvolvimento de relações amistosas. O ano de 2015 foi de amizade entre a Rússia e o nosso país, as trocas entre as delegações se intensificaram em todas as esferas, política, econômica e cultural. Desde que o Conselho de Segurança da ONU adotou uma resolução, em 2016, as relações bilaterais vêm se desenvolvendo com sucesso, apesar de todos os obstáculos", acrescentou o diplomata. 

    Mais:

    Embaixador russo indica datas possíveis dos testes nucleares da Coreia do Norte
    Pequim pede o fim das provocações na península da Coreia
    Lavrov fala com chanceler chinês sobre situações de Síria e Coreia do Norte
    Tags:
    sanções, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Kim Yong, Kim Jong-il, Aleksandr Matsegora, Pequim, China, Moscou, Pyongyang, EUA, Rússia, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik