16:23 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Sistema da defesa antimíssil THAAD

    Mídia descobre os planos de Trump: medidas contra Coreia do Norte serão impostas

    CC BY 2.0 / U.S. Missile Defense Agency / THAAD
    Ásia e Oceania
    URL curta
    532530
    Nos siga no

    Autoridades dos EUA elaboraram estratégia complexa que visa interromper o programa nuclear da Coreia do Norte, informa a Reuters.

    Segundo dados da agência, a lista é bastante longa e inclui, entretanto, o uso da força. Não obstante, o presidente norte-americano, Donald Trump, considera usar meios diplomáticos e econômicos.

    As sanções poderão ser impostas por Washington ou através da ONU. Nota-se que medidas de restrição serão introduzidas de acordo com as ações de Pyongyang. Entre eles — embargo nas entregas de petróleo à Coreia do Norte e proibição de exportação de mariscos e carvão norte-americanos. É possível que aviões do país sejam proibidos de atravessar espaço aéreo de outros países e navios de entrar em portos estrangeiros.

    Além disso, há previsão de sanções contra bancos chineses que cooperam com empresas norte-americanas.

    Anteriormente, tornou-se conhecido que EUA enviaram um grupo de navios de combate para a península Coreana. Washington está tomando medidas em resposta ao programa nuclear de Pyongyang.

    Segundo dados do NYT, a data do novo teste deverá coincidir com o 105º aniversário do fundador do país, Kim Il-sung.

    Mais:

    NYT anuncia possível data de novo teste nuclear da Coreia do Norte
    Japão: Coreia do Norte pode ser capaz de realizar ataque de mísseis com gás sarin
    Pentágono: EUA realizaram lançamento simulado de míssil nuclear de longo alcance
    Mídia: Coreia do Norte estaria pronta para guerra e ordenado evacuação de Pyongyang
    Tags:
    programa nuclear, exportação, embargo, medidas econômicas, teste nuclear, proibição, navios, aviões, sanções econômicas, estratégia, ONU, Donald Trump, Washington, Pyongyang, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar