03:39 22 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Manifestantes sul-coreanos usando máscaras do presidente dos EUA Barack Obama e a presidente sul-coreana Park Geun-hye, se opões a um plano para implantar um sistema avançado de defesa antimíssil THAAD, em Seul, Coreia do Sul, segunda-feira, agosto 15, 2016.

    THAAD norte-americano já está à venda?

    © AP Photo/ Ahn Young-joon
    Ásia e Oceania
    URL curta
    15715

    Vários especialistas coreanos aconselham à Coreia do Sul comprar os sistemas THAAD aos EUA para não só controlar o complexo de defesa antimíssil de forma independente, mas também melhorar relações com a China.

    Cheong Seong-Chang, chefe do Departamento de Estudos de Estratégia de Unificação do Instituto Sejong, opina que isso seria uma compra muito pragmática, porque os prejuízos materiais do agravamento das relações com a China serão de $ 14 bilhões (R$ 44 bilhões) por ano, enquanto para a Coreia do Sul a compra dos sistemas THAAD custaria $ 1,3 bilhões (R$ 4 bilhões).

    O especialista também sublinhou que o novo governo da Coreia deve realizar uma perícia para decidir se é rentável instalar sistemas de defesa antimíssil e assim corrigir os erros do governo anterior de Park Geun-hye que autorizou a instalação muito precipitadamente.

    O especialista também considera que é perigoso confiar completamente nos EUA na área de defesa, isso apenas aumentará a confrontação por parte da Coreia do Norte e agravará as relações com a China.

    O novo governo deve fazer de forma a que o problema coreano se torne de novo em um problema regional, e não internacional e deve ser a própria Coreia do Sul a desempenhar o papel decisivo na sua resolução, considera Cheong Seong-Chang.

    O professor da Universidade de Choongang, Lee Hyejeong, pensa que os EUA não têm qualquer direto de atacar a Coreia do Norte, mesmo se a última viola as decisões do Conselho da Segurança da ONU.

    A decisão sobre a instalação do sistema THAAD foi tomada no próprio âmbito da aliança americano-coreana. Por isso, assinala o especialista, o próprio secretário e o Departamento de Defesa dos EUA são responsáveis pelas consequências econômicas e diplomáticas desta instalação.

    Mais:

    Mídia: China pode neutralizar sinais de radar do THAAD
    Opinião: Coreia do Norte dá mais um passo para ultrapassar THAAD norte-americano
    Fonte militar: 'Implantação do THAAD não tem nada a ver com a situação política atual'
    Tags:
    sanções econômicas, tensão, THAAD, EUA, China, Coreia do Norte, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik