08:23 26 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras dos EUA e do Japão.

    Japão apoia americanos e indica EUA como principal meio de contenção de Pyongyang

    © AP Photo / Eugene Hoshiko
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1225

    O Japão aprecia a postura norte-americana em relação à Coreia do Norte, sendo que esta postura não exclui o uso da força militar contra este país, comunicou nesta terça-feira (11) a emissora NHK, citando o secretário-geral do governo japonês, Yoshihide Suga.

    "Avaliamos altamente a posição dos EUA, que mostraram que há diversas variantes de escolha na mesa. É importante reforçar em grande medida a força de contenção e de reação da aliança nipo-americana e promover a cooperação de ambos os países no futuro", afirmou Yoshihide Suga durante uma entrevista coletiva.

    Ele realçou também a continuidade da linha de combinação de métodos de "pressão e de diálogo" em relação à Coreia do Norte, bem como a importância da cooperação com os outros países, em primeiro lugar com os EUA e com a Coreia do Sul, na recolha e análise de informações.

    Na semana passada, a Coreia do Norte efetuou um lançamento de míssil balístico mal sucedido. Já no domingo (9), os EUA enviaram um grupo aeronaval de ataque encabeçado pelo porta-aviões nuclear USS Carl Vinson para as proximidades das costas coreanas. O grupo também inclui dois destróiers e um cruzador com mísseis guiados, capazes de interceptar mísseis balísticos.

    Também na semana passada, os EUA efetuaram um ataque de mísseis contra uma base aérea na Síria, lançando 59 mísseis de cruzeiro Tomahawk. O bombardeio foi anunciado pelas autoridades norte-americanas como uma resposta ao alegado uso de armas químicas na província de Idlib, do qual Washington tinha acusado o governo sírio sem apresentar quaisquer provas.

    Isto, em consequência, levou a discussões sobre um provável ataque preventivo americano contra a Coreia do Norte.

    No domingo (9), o assessor do presidente Trump Herbert McMaster sublinhou a legalidade de tal decisão, realçando que a existência do arsenal nuclear na Coreia do Norte é "inaceitável".

    O assessor adiantou que o presidente dos EUA, Donald Trump, pediu para que os militares estivessem prontos para "apresentar todo o leque de possibilidades a fim de eliminar esta ameaça".

    Mais:

    Coreia do Norte promete responder à presença de navios de guerra dos EUA
    Trump quer 'gama completa de opções' para ação na Coreia do Norte
    Trump manifesta apoio à política de Seul em relação à Coreia do Norte
    Tags:
    ataque preventivo, mísseis de cruzeiro, Tomahawk, USS Carl Vinson, Yoshihide Suga, Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik