12:33 22 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    13156
    Nos siga no

    A China é contra introdução de novas sanções contra a Coreia do Norte de caráter unilateral, declarou durante um briefing na quarta-feira (22) a representante oficial do ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying.

    Mais anteriormente, a agência Reuters informou, citando um alto representante do governo norte-americano, que a Administração Trump está considerando possibilidade de impor sanções contra a Coreia do Norte para afastar o país do sistema financeiro global. Além disso, foi relatado que novas sanções se tornarão uma parte da pressão crescente econômica e financeira, especialmente em relação aos bancos e empresas chineses que estão cooperando com Coreia do Norte, bem como intensificação de defesa dos EUA, Coreia do Sul e Japão.

    "Nossa posição é lógica e clara, estamos nos manifestando contra as tentativas de qualquer país de impor sanções unilaterais baseadas em sua legislação interna", declarou a representante oficial da chancelaria chinesa. 

    Além disso, a Reuters apontou que, nas últimas semanas, recomendações políticas serão enviadas para Donald Trump antes do seu possível encontro marcado para o início de abril com o presidente da China, XI Jinping.

    Segundo fontes da Administração Trump, os representantes dos EUA, incluindo o secretário de Estado, Rex Tillerson, avisaram para China sobre "restauração das sanções" contra os bancos e outras empresas que estão colaborando com o país norte-coreano.

    A Coreia do Norte se declarou potência nuclear em 2005. Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul, bem como Rússia e China, participaram de negociações com Pyongyang entre 2003 e 2009 para promover o desarmamento nuclear na península coreana. A Coreia do Norte, no entanto, retirou-se das negociações.

    Desde o início de 2016, Pyongyang realizou vários lançamentos de mísseis e testes nucleares, incluindo o mais recente lançamento de quatro mísseis na direção do mar do Japão, realizado em 6 de março de 2017, que provocou a escalada de tensões na península.

    Mais:

    EUA podem aplicar novas sanções contra Coreia do Norte
    Coreia do Norte pede que ONU realize conferência jurídica sobre sanções contra Pyongyang
    Coreia do Norte ameaça reduzir EUA 'às cinzas' em caso de ataque
    O que Coreia do Norte realmente lança: satélite ou míssil balístico intercontinental?
    'EUA preparam ataque militar preventivo contra Coreia do Norte'
    Tags:
    sistema financeiro, cooperação, empresa, bancos, pressão, mísseis, lançamento, sanções econômicas, Ministério das Relações Exteriores da China, Rex Tillerson, Donald Trump, Xi Jinping, Hua Chunying, Coreia do Norte, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar