14:53 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados do Exército de Libertação Popular da China desfilam carregando bandeiras com nomes de algumas tropas do Exército de Libertação Popular da China durante o ensaio antes da parada militar em homenagem aos 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial, Pequim, China, 3 de setembro de 2015

    Opinião: 2º desfile em dois anos é sinal de alterações na política militar da China

    © REUTERS / cnsphoto
    Ásia e Oceania
    URL curta
    7181
    Nos siga no

    Segundo a mídia de Hong Kong, no dia 1 de agosto de 2017 em Pequim poderá ser realizado um desfile do exército da China dedicado à comemoração do 90º aniversário do Exército da Libertação Popular da China (ELP).

    Não havia tal frequência de desfiles desde os anos cinquenta, acrescenta à Sputnik China o analista militar Vasily Kashin.

    Em 1981, Deng Xiaoping realizou a primeira revista às tropas após a Revolução Cultural na província de Hebei, mas a primeira verdadeira parada militar foi realizada só em 1984, conta Kashin.

    "Nos anos oitenta, as autoridades chinesas tomaram a decisão de realizar desfiles só uma vez em cada 10 anos, para comemorar a formação da China, mas ele não foi realizado em 1989 (devido às manifestações em massa no país)", informou Kashin.

    Após isso, os desfiles foram realizados em 1999 e 2009, marcando verdadeiras épocas no desenvolvimento da capacidade militar da China. O desfile seguinte estava planejado ser realizado em 2019.

    Mas hoje em dia, segundo ele, se torna claro que o governo chinês tomou uma decisão de realizar desfiles mais frequentemente. Em 2015, foi realizado o desfile em honra do 70º aniversário da vitória na Segunda Guerra Mundial no teatro de operações do Pacífico. Agora esperamos o desfile em honra do 90º aniversário do ELP. Este vai ser o primeiro caso em que o desfile será realizado, não devido ao aniversário da formação da China, mas em honra do aniversário do exército.

    "Tais passos têm um significado ideológica e politicamente importante. O desfile da Vitória de 2015 foi um resultado da nova tendência na atitude do governo da China perante a Segunda Guerra Mundial, que começou sendo considerada como o acontecimento central que desempenhou um papel muito importante na formação da renovada nação chinesa. A China começou citando as lições daquela guerra com mais frequência", explicou Kashin.

    Soldados do Exército de Libertação Popular da China desfilam durante a parada militar em homenagem aos 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial, Pequim, China, 3 de setembro de 2015
    © REUTERS / Damir Sagolj
    Soldados do Exército de Libertação Popular da China desfilam durante a parada militar em homenagem aos 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial, Pequim, China, 3 de setembro de 2015

    Essa alteração da atitude perante a Segunda Guerra Mundial, e o papel da China naquela guerra, coincidiu com a deterioração das relações entre a China e o seu rival daquela guerra –  o Japão, frisou o analista. Mas as razões da mudança de atitude não foram só por causa das contradições sino-japonesas. A China está enfrentando desafios e o governo chinês tenta preparar o país para eles lembrando os casos heroicos da sua história.

    O antigo discurso de criação de condições para o desenvolvimento econômico, minimização de gastos militares e recusa da liderança no palco global se tornou completamente uma coisa do passado. A nova linha política é aplicada gradualmente, em várias etapas, mas é possível que vejamos em breve desfiles anuais em Pequim.

    Mais:

    Política monetária na China está em ponto crítico?
    Casa Branca: 'Continuamos comprometidos com nossa Política de uma China única'
    Tags:
    história, discurso, atitude, guerra, aniversário, alteração, política, opinião, analista, desfile, Segunda Guerra Mundial, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar