00:20 18 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Botas de borracha

    Como botas de borracha atingem política e população japonesas?

    © Foto : pixabay
    Ásia e Oceania
    URL curta
    351

    No Japão, um alto funcionário perdeu o emprego por declarar algo que, posteriormente, foi considerado ato desrespeitoso às vítimas de desastres naturais. O secretário de Estado do Conselho de Gabinete dos Ministros, Shunsuke Mutai, de 60 anos, pediu demissão e desculpas pelo erro cometido.

    No dia 10 de março, durante uma reunião do gabinete, foi tomada a decisão de demissão de Shunsuke Mutai por comentar algo inapropriado, durante visita a áreas afetadas pelo terremoto e tsunami de 11 de março de 2011. Em setembro do ano passado, Mutai foi enviado a uma viagem de negócios a uma das áreas afetadas pela catástrofe natural. Por não ter consigo sapatos especiais para andar pela área encharcada de água e lama, o funcionário teve de ser carregado por seu subordinado.

    Posteriormente, o político declarou que o tufão de setembro favoreceu os fabricantes de botas de borracha, que obtiveram, segundo ele, grande demanda. As palavras pronunciadas pelo alto funcionário japonês atingiram todas as vítimas da tragédia.

    A líder da oposição parlamentar, Renho Murata, por sua vez, considerou "vergonhosa" a declaração sobre as botas de borracha e irá responsabilizar o primeiro-ministro Abe, que nomeou uma pessoa tão mesquinha para uma posição importante.

    Mais:

    Destróier russo Bystry passa por testes no mar do Japão
    Tags:
    catástrofe climática, demissão, tragédia, vítimas, Shinzo Abe, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik