06:07 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Homem vê notícias na TV sul-coreana sobre o lançamento de míssil balístico norte-coreano (foto de arquivo)

    Seul: Coreia do Norte não tem capacidade para produzir míssil intercontinental

    © AFP 2019 / JUNG YEON-JE
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 13
    Nos siga no

    A Coreia do Norte atualmente não tem as tecnologias necessárias para construir mísseis balísticos intercontinentais.

    Esta declaração integra o Relatório Branco de 2016 do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, publicado na quarta-feira (11).

    Como informa a agência Kyodo, o Ministério da Defesa da Coreia do Sul acredita que Pyongyang não dispõe da tecnologia para construir um míssil capaz de atingir os EUA.

    No Relatório Branco de 2014 tinha sido indicado que a Coreia do Norte tinha potencial para fabricar tais armas. A presente conclusão tem por base os diversos lançamentos falhados do míssil de alcance intermediário Musudan.

    Em 1 de janeiro Kim Jong-un, líder norte-coreano, declarou que os trabalhos da elaboração de um míssil balístico intercontinental estão na sua última etapa. A chancelaria da Coreia do Norte disse, por sua vez, que o país pode lançar míssil quando e onde quiser.

    O Relatório Branco da Coreia do Sul considera que Pyongyang aumentou suas reservas de plutônio até 50 quilogramas, o que é suficiente para produzir 10 ogivas nucleares.

    No domingo (8), Thae Yong-ho, ex-diplomata norte-coreano que fugiu de Londres para a Coreia do Sul, informou que Pyongyang planeja terminar a elaboração do míssil balístico intercontinental até o fim de 2017 — início 2018.

    Mais:

    'Coreia do Norte já possui míssil nuclear que pode atingir continente americano'
    Coreia do Norte fracassa em novo lançamento de míssil balístico
    Divulgada a primeira imagem do maior míssil balístico intercontinental da Rússia
    Tags:
    míssil balístico intercontinental, segurança nacional, relatório, Kim Jong-un, EUA, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar