07:55 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Li Keqiang, no Fórum Econômico Mundial, em Dalian.

    China e Noruega concordam em normalizar relações diplomáticas

    © REUTERS/ Jason Lee
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 31

    Chineses tinham esfriado relações com noruegueses após escolha de dissidente como prêmio Nobel da Paz em 2010.

    A China e a Noruega chegaram a um consenso sobre a normalização das relações depois de uma reunião entre o premiê chinês, Li Keqiang, e o ministro das Relações Exteriores norueguês, Borge Brende, realizada na segunda (20) em Pequim. 

    As relações entre os dois países se deterioraram em 2010, quando as autoridades de Pequim reagiram de forma negativa à decisão do Comité Nobel norueguês de atribuir o prémio Nobel da Paz ao dissidente chinês detido Liu Xiaobo. Um acordo comercial bilateral foi suspenso e o salmão norueguês enfrentou restrições no mercado chinês, mesmo sem capacidade de interferência do governo norueguês na escolha.

    "O Governo norueguês apoiou (a atribuição do prémio). É difícil manter as amigáveis relações com a Noruega que tínhamos antes", disse, à época, o Ministério das Relações Exteriores chinês.

    A primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg disse aos Parlamento que o país ia restabelecer a cooperação com a "maior economia mundial". Na China, o discurso foi de consenso.

    "Pequim deseja trabalhar com Oslo para iniciar um novo capítulo nas relações bilaterais e fazê-las crescer de maneira sustentável, saudável e estável", afirmou Li.

    *Com informações da agência de notícias Xinhua

    Mais:

    Noruega permite instalação de forças estrangeiras pela primeira vez após 2ª Guerra Mundial
    Rússia planeja ligar ferrovia de alta velocidade da Europa à China
    Tags:
    Ministério das Relações Exteriores da China, Erna Solberg, Liu Xiaobo, Borge Brende, Li Keqiang, Pequim, Noruega, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik