17:44 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Premiê japonês Shinzo Abe apertando a mão do presidente russo Vladimir Putin

    Premiê japonês: o acordo de paz nipo-russo não se alcança em um dia

    © AFP 2017/ IVAN SEKRETAREV / POOL
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 68622

    É pouco provável que Tóquio e Moscou sejam capazes de conseguir um tratado de paz permanente apenas em uma reunião conjunta, mas as relações baseadas na confiança com o presidente russo Vladimir Putin podem contribuir à celebração do documento, afirmou Shinzo Abe, o premiê japonês, na terça (22).

    Abe frisou que a celebração de um acordo de paz não é uma tarefa fácil e requer relações de confiança com o presidente Putin.

    "Queremos avançar para o acordo passo a passo… Uma reunião só não basta para chegar a um acordo, não é uma questão tão simples", afirmou Abe durante uma entrevista coletiva, citado pela emissora japonesa NHK.

    Ele frisou que tanto Moscou como Tóquio estão interessadas no desenvolvimento dos laços entre os dois países, inclusive na esfera da economia.

    O Japão e a Rússia nunca chegaram a concluir um acordo permanente de paz apos a Segunda Guerra Mundial devido às disputas em relação a 4 ilhas que a Rússia chama de Curilas e o Japão — de Territórios do Norte, ou seja, Iturup, Kunashir, Shikotan and Habomai. Ao discursar ao longo da entrevista coletiva, Abe destacou que a postura japonesa quanto às ilhas não mudou, adiantando que os países devem se esforçar para chegar a um resultado mutualmente benéfico.

    Recentemente, as relações entre os dois Estados ganharam novo ímpeto. Em setembro, Abe participou da cúpula do Fórum Econômico do Oriente, em Vladivostok, onde negociou por 3 horas com o presidente russo. Um dos resultados do encontro foi o anúncio da visita de Putin ao Japão, que tinha sido adiada desde 2014, para 15 de dezembro.

    Mais:

    Putin: Rússia e Japão restabeleceram alguns canais de cooperação
    Japão espera continuar cooperação com Rússia no espaço
    Dizer que Japão está se militarizando é muito exagerado
    Disputa das Curilas deve ser resolvida em dezembro ou 'durará por mais 60 anos'
    Tags:
    acordo de paz, disputa territorial, negociações, Fórum Econômico do Oriente, NHK, Shinzo Abe, Vladimir Putin, Ilhas Curilas, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik