05:25 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Caças J-10 da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China no show aéreo em Zhuhai, China, 2014 (foto de arquivo)

    Japão promete responder à China com 'medidas duras' por violação do seu espaço aéreo

    © AFP 2018 / JOHANNES EISELE
    Ásia e Oceania
    URL curta
    47723

    O Japão ameaçou a China com "medidas duras" em caso de aviões chineses violarem o espaço aéreo japonês, disse na segunda-feira (26), o secretário-chefe do gabinete de ministros do Japão, Yoshihide Suga.

    Mais cedo, tornou-se público que, na véspera, cerca de 40 aviões chineses – bombardeiros estratégicos e caças das Forças Armadas da China – se haviam aproximado das ilhas Okinawa.

    Segundo Yoshihide Suga, embora nenhuma violação do espaço aéreo japonês fosse registrada, se isso se repetir, o Japão tomará "medidas duras de acordo com o direito internacional e a lei sobre as forças de autodefesa japonesas".  

    "Dois aviões militares da China, provavelmente caças, voaram entre as ilhas de Okinawa e Miyako, o que aconteceu pela primeira vez", destacou Yoshihide Suga. "A partir de agora iremos seguir de perto as ações dos militares chineses", prometeu o político.

    A parte chinesa, por seu turno, declarou que realizou exercícios para treinar um voo de patrulhamento na zona de alcance do seu sistema antiaéreo sobre o mar do Leste da China.

    "A zona aérea mencionada pela China inclui o nosso território das ilhas Senkaku (denominadas Diaoyu na China), o que é absolutamente inaceitável", disse Suga.

    As ilhas de Senkaku (Diaoyu) são motivo de disputa territorial entre a China e o Japão. O Japão declara que está presente nas ilhas desde 1895, Pequim afirma que os mapas japoneses de 1783 e 1785 marcam as ilhas como território chinês.

    Depois da Segunda Guerra Mundial, as ilhas passaram a ser controladas pelos EUA, tendo sido transferidas para o Japão em 1972. Taiwan e a China continental defendem que o Japão ocupa ilegalmente as ilhas. O Japão considera que a China e Taiwan começaram a reivindicar o território na década de 1970, depois de se tornar claro que as ilhas eram ricas em recursos fósseis.

    Mais:

    Navios de combate chineses entram no território japonês
    Putin: Rússia não vende seus territórios, mas a paz com Japão é importante
    Poderiam EUA combater 'em duas frentes' contra Rússia e China?
    Tags:
    espaço aéreo, aviões, ilhas, violação, voos, China, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik