06:33 17 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Ilhas Curilas

    Japão não quer ceder nada à Rússia na disputa territorial sobre Curilas

    © Sputnik/ Yuri Kaver
    Ásia e Oceania
    URL curta
    473127919

    A posição do Japão sobre a necessidade de recuperar todas as Ilhas Curilas é inabalável, declarou o secretário-geral do Governo do Japão Yoshihide Suga respondendo à informação da mídia sobre uma possível cedência do país nesta questão.

    O jornal japonês Yomiuri tinha comunicado que Japão não iria exigir a entrega das quatro ilhas Curilas do Sul para celebrar o acordo de paz com a Rússia.

    Segundo a edição, Tóquio concordaria com a entrega por Moscou de duas ilhas — Habomai e Shikotan e em adiar a discussão sobre as outras duas – Iturup e Kunashir. 

    Em 1956 a União Soviética e o Japão assinalaram uma declaração conjunta que previa que Tóquio receberia as Ilhas de Habomai e Shikotan após a celebração de um acordo de paz, mas a questão das outras duas ilhas não foi discutida. Segundo os analistas, a diferença de estatuto das ilhas foi a razão das dificuldades no processo de negociações, que já dura há 60 anos.

    ​A questão de entrega das duas ilhas foi discutida entre Putin e Yoshiro Mori em 2001 mas, após a nomeação de Koizumi, esta ideia foi adiada.

    A falta de acordo de paz influencia negativamente o desenvolvimento das relações entre o Japão e a Rússia. O Japão exige a restituição das quatro ilhas de Curilas do Sul com base em um tratado assinado há 150  anos, o Tratado de Comércio e Fronteiras de 1855.

    Moscou, por seu lado, afirma que as Ilhas Curilas passaram a fazer parte da União Soviética após a Segunda Guerra Mundial e que a soberania russa não pode ser questionada.

    Mais:

    Mídia descobre qual é nova abordagem japonesa sobre ilhas Curilas
    Japão está pronto para cooperar com Rússia, apesar da disputa pelas Ilhas Curilas
    Tags:
    exigência, acordo de paz, disputa territorial, entrega, discussão, ilhas, relações, declaração, negociações, Ilhas Curilas, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik