05:15 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0613
    Nos siga no

    A recusa de Quirguistão de permitir que os Estados Unidos estacionassem suas aeronaves de reconhecimento e Controle (AWACS) no Aeroporto Internacional de Manas, em Bishkek, foi uma das razões por trás da Revolução das Tulipas de 2005, disse o ex-presidente do Quirguistão Askar Akaiev.

    Akaiev foi presidente do Quirguistão em 1990-2005. Ele foi afastado do poder em 2005 pela Revolução das Tulipas e atualmente reside na Rússia.

    "Representantes do Departamento de Estado sugeriram em 2004 permitir a implantação de aviões AWACS no aeroporto de Manas. Um assessor do Secretário [de Estado dos EUA] chegou a discutir esta operação <…> É claro que não podíamos permitir isso. Nossa resposta foi claramente negativa, isto não era negociável <…> Essa foi uma das razões pelas quais eles planejaram a Revolução das Tulipas no Quirguistão", disse Akaiev, em entrevista à agência de notícias russa RIA Novosti nesta quinta-feira.

    Avião de Sistema Aéreo de Alerta e Controle (AWACS)
    © flickr.com / Airman Magazine
    Avião de Sistema Aéreo de Alerta e Controle (AWACS)
    Os AWACS, também conhecidos como Boeing E-3 Sentry, são aeronaves utilizadas pelos países da OTAN, incluindo os Estados Unidos, para realizar reconhecimento, comando, controle e comunicações em regime permanente.

    O Centro de trânsito dos militares dos EUA em Manas foi criado em 2001 perto da capital do Quirguistão, Bishkek, para apoiar as operações militares e transportar o pessoal e equipamento para o Afeganistão. O centro foi fechado e entregue ao Quirguistão em 2014 a pedido das autoridades quirguizes.

    Mais:

    Quem desafiou a China no Quirguistão?
    Explosão na embaixada da China no Quirguistão foi atentado
    Bombardeiros Su-24 e helicópteros Mi-24 russos chegam ao Quirguistão
    Tags:
    Quirguistão, OTAN, AWACS, base aérea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar