21:02 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Vista das ilhas Curilas

    Japão usa Ilhas Curilas como pretexto para melhorar relações com a Rússia apesar dos EUA

    © flickr.com / Peter
    Ásia e Oceania
    URL curta
    8152
    Nos siga no

    O Japão "está fazendo jogo tático" no que diz respeito à disputa territorial sobre as Ilhas Curilas, pois Tóquio quer promover a cooperação econômica com a Rússia e diminuir sua dependência dos EUA, informou Yuri Tavrovsky, professor da Universidade Russa de Amizade dos Povos, em entrevista à agência Sputnik.

    Historicamente, desde o final da Segunda Guerra Mundial que a questão das Ilhas Curilas tem sido alvo de disputas entre a Rússia e o Japão, com Tóquio reivindicando seus direitos a esse território. Porém, o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe decidiu mudar a abordagem dessa questão.

    Segundo analistas, Abe se mostra interessado em fomentar as relações com a Rússia na área da economia mesmo que a questão das disputas territoriais continue sem solução.

    "A questão não somente se refere às relações entre a Rússia (antes a União Soviética) e o Japão. Há também um terceiro ator – os EUA. A questão surgiu em 1952, quando a ocupação americana do Japão terminou", explica o analista.

    Segundo ele, naquele tempo os líderes japoneses "tentaram encontrar uma solução mutuamente aceitável com a União Soviética, mas Washington interferiu".

    Panorama fascinante das ilhas Curilas
    © Sputnik / Sergey Krivosheyev
    Panorama fascinante das ilhas Curilas

    A União Soviética e o Japão estiveram próximos de resolver o assunto nos anos 50 do século passado. Em 1956, o então líder soviético Nikita Khrushchev concordou em repassar as ilhas Habomai e Shikotan ao Japão, mas o acordo bilateral não foi assinado. Segundo o analista, isso aconteceu "não porque o Japão não queria as duas ilhas, mas porque os EUA não lhe permitiram assinar o respetivo acordo".

    Recentemente, tanto a Rússia como o Japão têm manifestado seu interesse em tomar uma decisão vantajosa para ambas as partes. Na segunda-feira, o assessor do chefe de gabinete japonês Yoshihide Suga anunciou que o governo japonês estava disposto a "continuar negociações a fim de resolver o assunto referente a quatro ilhas e assinar o acordo de paz".

    Porém, de acordo com Tavrovsky, este foi um sinal para os EUA e não para a Rússia. Ele opina que Abe está pronto a melhorar as relações bilaterais, porque o Japão vê claramente como as relações russo-chinesa estão progredindo.

    Segundo ele, a cooperação econômica não é um "presente" para Rússia, mas sim a "vontade do Japão de participar de projetos na Sibéria e Extremo Oriente". O Japão, como país de influência, quer virar Estado completamente soberano, mas sem se esquecer de tomar em conta as ordens provenientes de Washington.

    Mais:

    Caça japonês da Segunda Guerra Mundial encontrado nas Curilas russas
    Tags:
    reivindicações, disputa territorial, relações bilaterais, economia, Nikita Khrushchev, Shinzo Abe, Ilhas Curilas, Extremo Oriente, União Soviética, Tóquio, Sibéria, EUA, Japão, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar