18:01 28 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    23510
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos EUA John Kerry declarou hoje (9) que, apesar das constantes provocações e violações de resoluções do Conselho de Segurança por parte de Pyongyang, Washington espera retomar as conversações sobre o programa nuclear da Coreia do Norte.

    “Fizemos uma série de concessões ao ditador da Coreia do Norte. Deixamos bem claro que estamos abertos ao diálogo sobre paz na península, sobre ajuda alimentar, sobre a retomada de relações normais com o mundo, sobre a assinatura do pacto de readmissão. Existe toda uma lista de elementos que poderiam ser oferecidos caso ele aceitasse voltar à mesa de conversações sobre o desarmamento nuclear e o cumprimento de suas obrigações não apenas perante nós, mas perante todo o mundo. Mas todas as vezes ele se recusa a fazer isso” – disse Kerry durante entrevista coletiva em Genebra.

    Nas palavras do Secretário de Estado americano, os EUA esperam retomar as conversações com a Coreia do Norte.

    “Estamos disposto a retomar o diálogo imediatamente. Tudo o que ele precisa fazer é concordar com a desmilitarização. Infelizmente, ele se comporta de maneira oposta. Contrariando todas as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, ele continua lançando mísseis e tomando ações provocativas” – frisou o diplomata.

    Kerry destacou ainda que o líder da Coreia do Norte “está sozinho” e que “o seu isolamento está apenas aumentando”. Após o lançamento dos mísseis, foram detectados tremores de magnitude 4,8 a 5,3 na península da Coreia.

    Coreia do Norte realizou hoje o que foi considerado o maior teste nuclear da sua história, provocando tremores de magnitude 4,8 a 5,3 na península coreana. Segundo estimativas da Coreia do Sul, pela potência desta bomba, ela poderia ter 10 toneladas de TNT.

    Mais:

    Governo brasileiro repudia teste nuclear da Coreia do Norte
    Exercícios da Coreia do Sul e EUA podiam impulsionar Pyongyang a fazer novo teste nuclear
    Comunidade internacional não consegue pôr freio na Coreia do Norte
    Tags:
    nuclear, diálogo, John Kerry, EUA, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar