06:18 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Dois sistemas de THAAD são lançados durante um teste de interceptação bem sucedido.

    China se opõe à instalação do THAAD na Coreia do Sul

    © flickr.com/ Agência de Defesa contra Mísseis (ADM) dos EUA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    51583110

    A China está contra o posicionamento do sistema THAAD, declarou na segunda-feira (05) o líder chinês Xi Jinping durante uma reunião com a presidenta da República da Coreia Park Geun-hye, informa a agência Xinhua.

    As respetivas conversações decorreram no âmbito da cúpula do G20 na cidade chinesa de Hangzhou.

    Este foi o primeiro encontro entre os chefes de Estado dos dois países, perante as tensões provocadas pela decisão de instalar sistemas de defesa antiaérea norte-americanos THAAD na Coreia do Sul, indica o jornal South China Morning Post.

    Segundo Xi Jinping, uma solução incorreta deste desafio não contribui para a estabilidade estratégica na região, podendo exacerbar tensões.

    Por seu turno, a presidenta da Coreia do Sul destacou que no ano em curso a Coreia do Norte realizou o quarto teste de armas nucleares e vários lançamentos de mísseis, o que, segundo ela, ameaça a estabilidade e desafia as relações entre a Coreia do Sul e China.

    Umas horas após a reunião bilateral, a Coreia do Norte fez três novos lançamentos de mísseis balísticos na bacia do mar do Japão, algo que o South China Morning Post caracterizou como uma "demonstração de força".

    Em 3 de setembro, durante o Fórum Econômico do Oriente, Park Geun-hye pediu que a Rússia e o Japão tentem de alguma forma influenciar a Coreia do Norte. Em resposta, o presidente russo Vladimir Putin recomendou ponderar cada passo e agir com cautela para não provocar ações por parte da Coreia do Norte.

    No mesmo dia 3 de setembro, em vésperas do G20, Xi Jinping se reuniu com o presidente Barack Obama deixando claro para ele que a China se opõe ao posicionamento do THAAD na Coreia do Sul e que "os EUA devem respeitar os interesses de segurança estratégica da China".

    O especialista russo em questões militares Vladimir Evseev expõe a sua visão do assunto:

    "Segundo as informações disponíveis no momento, somente uma bateria do THAAD será instalada. Essa bateria não se destina à defesa de Seul e serve para proteger instalações militares norte-americanas. Creio que isso foi abordado nas reuniões de Xi Jinping com Park Geun-hye e Barack Obama".

    Segundo Evseev, há a possibilidade de outros sistemas americanos serem colocados na Coreia do Sul – além do THAAD, poderá ser instalado o sistema antimísseis americano Aegis, a exemplo da Romênia.

    Ele opina que no momento a China quer impedir o posicionamento ulterior do THAAD, além de outros sistemas que representam uma ameaça para o país.

    Segundo o especialista, é preciso evitar o pior, caso contrário, a China poderá reagir com medidas militares. "Há tentativas de empurrar a China para uma corrida aos armamentos e a China tenta parar esse processo", explica.

    Há também outra opinião. Eis o que diz Wang Junsheng, especialista chinês da Academia de Ciências Sociais da China:

    "Na reunião, Xi Jinping sublinhou que a China e a Coreia do Sul são vizinhos que têm interesses comuns. O desenvolvimento conjunto, o fomento da paz na região – é nisso que os interesses das partes estão interligados."

    Segundo ele, há também outros argumentos – convencer a Coreia do Sul a tomar o caminho certo, respeitar interesses mútuos e encontrar pontos comuns apesar das diferenças.

    No final, Wang Junsheng conclui que a situação no futuro vai depender da ‘sabedoria política’ dos líderes sul-coreanos nesta questão.

    Mais:

    Seul: implantação de THAAD no país não é dirigida contra Rússia
    Coreia do Sul discute alternativas para instalar THAAD norte-americano
    Opinião: instalação do THAAD na Coreia do Sul abre 'Caixa de Pandora' na região
    Tags:
    instalação, sistema antimísseis, sistema de defesa antiaérea, lançamento, Sistema de Combate Aegis, THAAD, Cúpula do G20, Xinhua, Park Geun-hye, Xi Jinping, Barack Obama, Vladimir Putin, Romênia, Coreia do Sul, Coreia do Norte, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik