10:00 16 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA Barack Obama chegou ao aeroporto de Hangzhou

    Agência de Inteligência de Defesa dos EUA pede desculpas à China

    © REUTERS/ Damir Sagolj
    Ásia e Oceania
    URL curta
    31184809

    Agência de Inteligência de Defesa dos EUA pediu desculpas a Pequim por comentário no Twitter sobre incidente durante a chegada de Barack Obama para a cúpula do G20, em Hangzhou.

    Quando o presidente norte-americano chegou ao aeroporto, entidades chinesas não providenciaram uma escada com tapete vermelho, forçando Obama a utilizar uma saída na parte de trás do avião. Os organizadores também impediram a assessora do presidente Susan Rice de se aproximar dele.

    Em seguida, perto do avião do presidente, houve uma confusão entre a assessoria de Obama e funcionários chineses. A agência AP divulgou que os representantes da China afastaram a mídia americana, não deixando que ela se aproximasse do seu presidente.

    Segundo Susan Rice, "o presidente é americano, então as regras sobre o presidente são impostas pelos EUA". Já um funcionário do Serviço de Protocolo chinês respondeu: "É nosso país. É nosso aeroporto".

    ​O jornal The New York Times escreveu sobre "recepção glacial" de Pequim. Em conta no Twitter, a Agência de Inteligência de Defesa dos EUA se expressou sobre a situação utilizando somente algumas palavras: "Ótimo, como sempre, China".

    A publicação no Twitter foi excluída, seguida por pedido de desculpas da Agência à China. Segundo a entidade norte-americana, a publicação foi feita "erroneamente" e não reflete a posição da Agência.

    Mais:

    Pequim revela verdadeira história da recepção de Obama na China
    Putin e Obama terminam encontro após mais de uma hora de conversa
    Putin e Obama se reúnem em Hangzhou
    Tags:
    protocolo, aeroporto, Barack Obama, Pequim, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik