18:22 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    O mar do Sul da China

    Filipinas alarmadas com possibilidade de a China invadir uma ilha no mar do Sul da China

    © AFP 2017/ STR
    Ásia e Oceania
    URL curta
    12426114

    As Filipinas exigiram que o embaixador da China explicasse a presença de um "número crescente" de navios militares chineses perto da ilha disputada Scarborough Shoal no mar do Sul da China.

    A ilha Scarborough Shoal é alvo de disputas territoriais entre a China e as Filipinas.

    Anteriormente, a administração do presidente norte-americano Barack Obama emitiu uma declaração advertindo que caso a China apresente suas reclamações a Scarborough Shoal ou cruze a assim chamada "linha vermelha", tais ações causarão graves consequências para o país.

    No domingo passado (04) as Filipinas se mostraram alarmadas depois de um navio de patrulha do país ter detectado um número maior de navios chineses se comparado à quantidade de embarcações que a China mantinha desde que assumiu controle da ilha Scarborough Shoal, anunciou o ministro da Defesa das Filipinas, Delfin Lorenzana.

    "Quatro navios de patrulha chineses e mais seis navios, incluindo lanchas azuis, foram vistos em torno da ilha Scarborough Shoal", informou Lorenzana aos jornalistas.

    O presidente filipino, Rodrigo Duterte, requereu que a China observasse a decisão do Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia, ressaltando que esse tema não seria abordado por ele na cúpula do G20

    Duterte avisou que caso a China invada a ilha, as Filipinas e os EUA se envolverão num conflito sangrento contra a China para defender a soberania filipina.

    Se as Filipinas entrarem em conflito armado contra a China, os EUA estarão envolvidos também, pois os dois países possuem um tratado bilateral assinado por eles há seis décadas.

    Ao mesmo tempo Lorenzana deixou claro que "caso a China decida construir alguma coisa na ilha Scarborough Shoal, isso causará impacto negativo na segurança".

    Enquanto isso, os EUA continuam monitorando a atual situação, advertindo ambas as partes a se absterem de passos bruscos e a tomarem medidas práticas com objetivo de diminuir tensões.

    Em 12 de julho, o Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia concluiu que não há base legal para que a China reivindique seus direitos históricos na zona econômica exclusiva na área das ilhas Nansha (Spratly). O tribunal também acusou a China de violar a soberania das Filipinas.

    Mais:

    Japão desloca navios de guerra para apoiar Filipinas no mar do Sul da China
    Pequim cruza 'linha vermelha' de Washington no mar do Sul da China
    Vietnã transfere mísseis para ilhas no Mar do Sul da China
    Tags:
    navios, tensão, reivindicações territoriais, disputa territorial, Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia, Cúpula do G20, Rodrigo Duterte, Spratly, EUA, Scarborough, Filipinas, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik