Ciência e tecnologia

Colunista chama de 'excremento' Ultima Thule, objeto mais distante já explorado no espaço

NASA/JHUAPL/SwRI/Alex Parker
URL curta

Colunista de um portal da Nova Zelândia citou um inesperado ponto de vista com relação a uma recente descoberta no espaço.

O objeto rochoso Ultima Thule, que está flutuando em um ponto distante no Cinturão de Kuiper, é uma das grandes sensações relacionadas ao espaço.

O Ultima está localizado no Cinturão de Kuiper a 6,5 bilhões de quilômetros da Terra. O asteroide de oito lados é conhecido como 486958 ou 2014 MU69, semelhantes a dois corpos celestes separados que foram colados, inclusive, foram comparados por alguns astrônomos com um boneco de neve ou amendoim.

Entretanto, a colunista do portal Stuff da Nova Zelândia, Jane Bowron, sugeriu uma analogia totalmente diferente. Para Bowron, o objeto rochoso parece um grande excremento espacial, explicando sua teoria que se realmente existirem extraterrestres em algum lugar, eles já teriam estudado os humanos muito bem, por isso decidiram que o melhor seria nos manter afastados de suas civilizações.

Além disso, Bowron afirma que a melhor maneira de manter os invasores afastados seria com um gigante excremento espacial. Ela também acredita que os terráqueos não querem admitir o que eles realmente estão vendo, pois seria o reconhecimento de que somos estúpidos por termos participado de uma piada.

A colunista ressalta que se não fossem extraterrestres jogando excrementos na sonda New Horizons para mantê-la longe, a explicação mais plausível seria uma grande farsa concebida para desviar a atenção do sucesso da missão chinesa à Lua.

Bowron está desapontada com o objeto espacial fotografado mais distante do que nunca, chegando a citar que o asteroide deveria ser repelido por um asteroide em formato de um grande saco plástico.

Cientistas trabalham nos dados do Ultima, porém, pedirão à NASA um novo financiamento para a extensão da missão.